Panorama de Mercado 05/12/2019

0

Aos clientes e amigos,

Bom dia

 
ativos operando:     DÓLAR   +0,33 %   EURO   +0,51%  

No mercado de câmbio:

 
Dólar opera em leve alta de olho na cúpula do Mercosul e em guerra comercial

 

O dólar opera em leve alta nesta quinta-feira (5), após fechar em queda nos 3 últimos pregões, com as atenções dos investidores voltadas para a cúpula do Mercosul e em possíveis sinais de progresso nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Às 9h22, a moeda norte-americana subia 0,17%.

Na véspera, o dólar fechou em queda de 0,08%. Na semana, acumula recuo de 0,90%. No ano, porém, a moeda já avançou 8,45%.

Nesta quinta-feira, o Banco Central ofertará até 10 mil contratos de swap cambial reverso e até US$ 500 milhões em moeda spot. Adicionalmente, em caso de venda parcial ou não colocação de swaps reversos ou dólar à vista, a autarquia leiloará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento fevereiro de 2020.

 
 

   DÓLAR   INDEX: -0,17%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

   DÓLAR    FUTURO: +0,02%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

No âmbito interno,

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta quarta-feira que vai rever os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre deste ano em função da mudança nos dados das exportações apontada pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Em nota técnica, o órgão afirmou que a revisão dos dados faz parte do processo dos sistemas estatísticos em todo o mundo e está prevista na metodologia das contas trimestrais brasileiras.

Os números revisados do PIB do terceiro trimestre serão divulgados em 4 de março, junto à publicação dos dados do quarto trimestre. Na terça-feira, o IBGE informou que o PIB brasileiro cresceu 0,6% no terceiro trimestre frente aos três meses anteriores, mais do que o esperado pelo mercado.

 

Na âmbito externo,

Tarifas precisam ser reduzidas para que a China e os Estados Unidos alcancem um acordo provisório sobre comércio, afirmou o Ministério do Comércio nesta quinta-feira, mantendo sua postura de que algumas tarifas norte-americanas precisam ser revertidas para a fase um de um acordo.

"O lado chinês acredita que se ambos os lados alcançarem a fase um de um acordo, as tarifas devem ser reduzidas de acordo", disse o porta-voz do ministério, Gao Feng, acrescentando que os dois lados estão mantendo comunicação próxima.

A finalização da fase um de um acordo entre as duas maiores economias do mundo era inicialmente esperado para novembro, antes de entrar em vigor uma nova rodada de tarifas dos EUA em 15 de dezembro, cobrindo 156 bilhões de dólares em importações chinesas.

As delegações comerciais dos dois lados continuam travadas em discussões sobre "importantes questões de preocupação", com o aumento das tensões bilaterais sobre questões não relacionadas ao comércio, como protestos em Hong Kong, prejudicando as perspectivas para um acordo no curto prazo buscando acabar com a guerra comercial.

A China alertou na quarta-feira que a legislação dos EUA pedindo uma resposta mais dura ao tratamento dado por Pequim aos Uighurs na região chinesa de Xinjiang afetará a cooperação bilateral.

 

Mas "não há necessidade de pânico" já que as negociações não pararam, disse à Reuters na quarta-feira uma fonte chinesa que aconselha Pequim sobre as negociações comerciais.

"Ambos os líderes conversaram sobre alcançar um acordo, e as autoridades estão agora finalizando o trabalho".

 Nas Bolsas, 

O índice Ibovespa Futuros começa a sessão desta quinta-feira com ganhos de 0,26% aos 110.575 pontos. Mais uma vez, o dia será marcado pelos investidores atentos às negociações entre China e Estados Unidos e suas idas e vindas, além da consolidação da expectativa da decisão de políticas monetárias de Brasil e EUA com as reuniões, respectivamente, do Copom e do Fomc marcadas para a próxima semana.

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,71%, a 23.300 pontos.

Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,59%, a 26.217 pontos.

Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,74%, a 2.899 pontos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,77%, a 3.879 pontos.

O dia mostra-se de rumos distintos para os principais mercados de ações da Europa. Em Frankfurt, o DAX avança 0,24% aos 13.172 pontos, enquanto que em Londres o FTSE cede 0,13% aos 7.179 pontos. Já em Paris, o CAC tem alta de 0,78% aos 5.844 pontos.

Fonte: Reuters / Investing.com / G1

Panorama de Mercado 04/12/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,28%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,37%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: 0,35%                Ásia: -0,23%

Dow Jones Futuro: 0,57%            Europa (Frankfurt): 1,15%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Com Donald Trump apontando suas armas para algumas economias mundiais em busca da reeleição em 2020 na tradicional política “América First” , os mercados observam a cada vez mais remota chance de acordo da fase 1 das negociações comerciais entre americanos e chineses ser finalizada em 2019. A extensa disputa tende a encurtar o crescimento global em 2020, inclusive o americano, mas… Com isso crescem os indícios de que nova tarifação sobre USD 160 bilhões em produtos chineses possam entrar em vigor a partir do próximo dia 15, todavia, a Bloomberg informou citando fontes, que os dois países estariam se aproximando de um entendimento em relação à essas tarifas, gerando a expectativa de que um alívio momentâneo esteja a caminho. Enquanto isso a atividade no setor de serviços chinês acelerou para uma máxima de sete meses em novembro estabelecida na ampliação de novos negócios sobretudo para exportação. O PMI de serviços do Caixin/Markit subiu para 53,5 no mês passado, ritmo mais rápido desde abril, de 51,5 em outubro. Já na zona do euro, a atividade empresarial permaneceu estagnada no mês passado. O PMI Composto final do IHS Markit para o bloco permaneceu em 50,6 no mês passado, repetindo a leitura de outubro. A atividade do setor de serviços enfraqueceu, com seu PMI caindo a 51,9 de 52,2, mas acima da preliminar de 51,5. Agora, os agentes esperam pelos dados de atividade nos Estados Unidos onde às 11H45 saem os índices PMI e ISM do setor de serviços. Um pouco antes, às 10H15, a ADP informa seu relatório de mercado de trabalho no setor privado do país, considerado uma prévia do payroll (relatório geral) que na próxima sexta-feira será divulgado e que sempre é aguardado com expectativa. Por aqui, mais um dado positivo saiu nesta manhã, trata-se da produção industrial que subiu 0,8% em outubro na comparação com o mês anterior. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior a alta foi de 1%. No mais, o BCB segue ofertando dólares no mercado à vista e swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇    INDEX: 0,04%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,19%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo acelerou a alta a 0,68% em novembro depois de subir 0,16% em outubro, com forte alta dos alimentos e das despesas pessoais. O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

 

Na agenda externa, A atividade empresarial da zona do euro permaneceu próxima da estagnação no mês passado, com a indústria aparentemente continuando a agir como um peso sobre o dominante setor de serviços do bloco e sobre a economia como um todo. O PMI Composto final do IHS Markit para a zona do euro permaneceu em 50,6 no mês passado, repetindo a leitura de outubro. A atividade do setor de serviços enfraqueceu, com seu PMI caindo a 51,9 de 52,2, mas acima da preliminar de 51,5.

A atividade no setor de serviços da China acelerou para uma máxima de sete meses em novembro, com ampliação dos novos negócios, especialmente para exportação. O PMI de serviços do Caixin/Markit subiu para 53,5 no mês passado, ritmo mais rápido desde abril, de 51,5 em outubro.

 

Nas Bolsas, O índice acionário de Xangai terminou em baixa nesta quarta-feira, uma vez que as expectativas de um rápido acordo comercial inicial foram prejudicadas por declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, embora uma série de dados favoráveis e pesquisas indicando melhora da economia chinesa tenha ajudado a conter as perdas. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,03%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,23%. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, índices PMI e ISM do setor de serviços e relatório do mercado de trabalho privado divulgado pela ADP formam a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 03/12/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,50%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,57%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: 0,18%                           Ásia: 0,31%

Dow Jones Futuro: -0,40%                      Europa (Frankfurt): 0,50%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Donald Trump vem tomando conta do noticiário com declarações a respeito de um série de frentes que estão sendo objeto de análise dos agentes. Sobre a negociação entre americanos e chineses, Trump diz que ela não tem prazo para acabar e que inclusive pode ficar para após as eleições americanas em 2020, que apesar dos chineses buscarem um acordo agora, ele deve ser correto e só ocorrerá se assim ele o desejar. Com a União Europeia a narrativa comercial segue um tom ameaçador visto que de acordo com Trump os europeus tem sido muito injustos no comércio o que pode tornar as coisas bastante difíceis em relação ao bloco. Já sobre o Brasil, o argumento usado para imposição de tarifas sobre o aço e alumínio é o de que nós estamos manipulando o câmbio (desvalorizando o Real) para favorecer as exportações, o que não corresponde a fato, fosse dessa maneira o Banco Central Brasileiro não estaria intervindo como está no sentido de evitar a distorção no preço. Há quem diga que o objetivo principal de Trump é o de que ao criar um factoide sobre o Brasil, se tenha como barganhar melhores termos com os americanos, como por exemplo reduzir nossas exportações de alimentos aos chineses, que ao se depararem com a peste suína ampliou a compra de proteína brasileira, a carne, desabastecendo o mercado interno e elevando o preço do produto por aqui, paralelamente isso poderia favorecer o produtor americano. Enquanto isso o Brasil tem tido conversas com autoridades dos Estados Unidos através de contato direto feito pelo ministro da economia Paulo Guedes que vai avaliar todo o contexto em torno da situação afim de buscar uma solução. Caso necessário, uma conversa entre Bolsonaro e Trump pode finalizar a questão. A conferir. Nesta manhã foi divulgado que a economia brasileira segue em processo de recuperação gradual, com o PIB crescendo 0,6% no terceiro trimestre em comparação com o segundo. Em relação a igual período de 2018, o crescimento foi de 1,2%, ou seja, boa notícia para começar o dia. Vale lembrar que o boletim Focus divulgado ontem projetou que o PIB deve encerrar o ano em 0,99%, todavia uma aceleração no ritmo de recuperação no quarto trimestre é bem possível, afinal o consumo deve subir, o cenário é de juro baixo, inflação comportada, expansão do crédito e melhora dos níveis de emprego. Campos Neto, presidente do BCB disse na noite de ontem estar otimista quanto ao ano de 2020, acreditando que o Brasil espera por uma melhora na nota de classificação de risco país, aceleração no crescimento puxado por investimentos privados e aumento do fluxo de capital estrangeiro ainda no primeiro trimestre.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇    INDEX: 0,04%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,40%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,6% no 3º trimestre, na comparação com o 2º trimestre, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Em relação a igual período de 2018, o crescimento foi de 1,2%. No acumulado em quatro trimestres terminados no 3º trimestre de 2019, o PIB registrou crescimento de 1,0%, frente aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Já acumulado do ano até o mês de setembro, o PIB cresceu 1,0%, em relação a igual período de 2018", informou o IBGE. O resultado mostra que a economia brasileira manteve entre julho e setembro trajetória de recuperação gradual, embora em ritmo ainda fraco e mais lento do que se esperava no começo do ano.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse em entrevista exibida na noite de ontem estar otimista com o próximo ano, quando espera uma melhora na nota de classificação de risco do país e uma aceleração do crescimento puxado por investimentos privados, com aumento do fluxo de capital estrangeiro para a economia real ainda no primeiro trimestre.

 

Na agenda externa, A França e a União Europeia estão prontas para retaliar se o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cumprir a ameaça de impor tarifas de até 100% sobre 2,4 bilhões de dólares em importações de champanhe, bolsas de mão e outros produtos franceses, disse o governo francês.

Dados de atividade no setor de serviços chineses saem a noite.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China reverteram o curso e terminaram em alta nesta terça-feira, liderados por ganhos nos papéis de consumo e financeiros, com os investidores buscando empresas de baixa valorização após dados favoráveis recentes sobre a indústria. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,39%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,31%. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que as coisas podem ficar bastante difíceis com a União Europeia a menos que o bloco melhore o comércio e a Otan. "A União Europeia (está) ameaçando os Estados Unidos de forma muito, muito injusta no comércio", disse Trump em uma reunião com o chefe da Otan em Londres. "O déficit por muitos, muitos anos tem sido astronômico, com os Estados Unidos e a Europa a favor deles. Estou mudando isso e estou mudando muito rápido." "Não é correto que se tome vantagem com a Otan e também que se tome vantagem com o comércio, e é isso que acontece. Não podemos deixar isso acontecer." "Estamos conversando com a União Europeia sobre comércio e eles têm que endireitar ou as coisas vão ficar muito, muito difíceis." Sobre as negociações comerciais com os chineses Trump deu a seguinte declaração: "Eu não tenho prazo, não. De certa maneira acho que é melhor esperar até depois da eleição em relação à China, mas eles querem fechar um acordo agora, e veremos se o acordo será ou não correto, ele tem que ser correto."

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 02/12/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,15%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,03%  🗞 .

 

Ibovespa: 0,60%                          Ásia: 0,13%

Dow Jones Futuro: 0,08%           Europa (Frankfurt): -0,65%.

 

No mercado de câmbio: Dólar operando em baixa no início dos negócios. Apesar da postagem de Donald Trump no Twitter de que irá retomar imediatamente tarifas norte-americanas sobre importações de aço e alumínio do Brasil e da Argentina, os mercados operam digerindo também dados inesperados sobre a economia chinesa que mostraram recuperação na atividade industrial em novembro no ritmo mais rápido em quase três anos. Na europa, apesar da atividade industrial ter contraído pelo 10º mês seguido em novembro alguns sinais projetam recuperação adiante. Sobre a questão tarifária americana ao Brasil, haverá conversas a respeito entre o ministro da economia Paulo Guedes e o presidente da República, e após o entendimento, se necessário, contato direto com Donald Trump. O BCB já interviu nesta manhã oferecendo dólares no mercado à vista conforme anunciado. A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, discursa nesta manhã, e a semana é cheia de indicadores tanto cá, como no exterior, o que pode fazer do ambiente de negócios mais volátil. Nesta manhã saiu o boletim Focus do Banco Central com as seguintes estimativas para o final de 2019: IPCA: 3,52%, USD: 4,10, SELIC: 4,50%, PROD.INDL.: -0,70%, BALANÇA COMERCIAL: USD 43,50 Bilhões, INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 75 Bilhões e PIB: 0,99%. Hoje a tarde sai o resultado da balança comercial brasileira às 15H, e como a Secex revisou os dados parciais de novembro na semana que se passou para mostrar superávit ante déficit é bom ficar de olho, afinal o equivoco trouxe pressão nas cotações. Sobre a guerra comercial, americanos e chineses, seguem as incertezas o que inibe a volta do capital externo por aqui, isso sem acrescentar que todos esperam pelas principais reformas pós previdência para vislumbrar um cenário mais otimista. A conferir.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇    INDEX: 0,03%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,10%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pode conversar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a respeito da decisão anunciada pelo líder norte-americano de que vai retomar tarifas sobre importações de metais do Brasil. “Vou falar com o Guedes hoje. Alumínio? Vou falar com o Paulo Guedes agora. Se for o caso, ligo pro Trump, eu tenho um canal aberto com ele. Converso com o Paulo Guedes e depois dou uma resposta, para não ter que recuar”, disse a jornalistas.

 

Na agenda externa, A atividade industrial da China expandiu inesperadamente em novembro no ritmo mais rápido em quase três anos, com sólidos aumentos da produção e das novas encomendas. O PMI do Caixin/Markit subiu a 51,8 em novembro de 51,7 no mês anterior, marcando a expansão mais rápida desde dezembro de 2016, quando ficou em 51,9.

A atividade industrial da zona do euro contraiu pelo 10º mês seguido em novembro embora as fábricas do bloco possam estar se recuperando. O PMI final de indústria do IHS Markit tem ficado abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração desde fevereiro, mas atingiu 46,9 em novembro, acima da marca de 45,9 de outubro e acima da preliminar de 46,6.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China terminaram em alta nesta segunda-feira após dados fortes sobre a atividade industrial, mas os ganhos foram limitados pela ansiedade com as perspectivas sobre um acordo comercial com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,19%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,13%.

 

Nos Estados Unidos, O presidente Donald Trump disse no Twitter que irá retomar imediatamente tarifas norte-americanas sobre importações de aço e alumínio do Brasil e da Argentina. Trump também pediu que o Federal Reserve impeça que países tomem vantagem de um dólar mais forte, desvalorizando suas moedas. “Juros menores e afrouxamento- Fed!”, escreveu. Na agenda economica saem dados sobre atividade industrial a partir das 11H45.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 29/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,45%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,35%  🗞.

 

Ibovespa futuro: 0,13%                            Ásia: -0,61%

Dow Jones Futuro: -0,17%                      Europa (Frankfurt): 0,13%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. No encerramento do mês teremos a guerra pela formação da Ptax entre os bancos como motor de movimento volátil até as 13H. Nesta manhã saiu a taxa de desemprego no Brasil que no trimestre encerrado em outubro ficou em 11,6% o que corresponde a 12,4 milhões de pessoas, na que é  a primeira queda na série trimestral desde o trimestre encerrado em junho. Nesta semana, o Conselho Monetário Nacional (CMN) redefiniu regras para o cheque especial, estabelecendo que a taxa de juros do produto não poderá superar 8% ao mês -cerca de 150% ao ano. Antes dessa resolução a taxa chegava a 12%. Por outro lado foi permitido aos bancos a cobrança de uma tarifa pela disponibilização de limites de cheque especial superiores a R$ 500,00 e está limitada a 0,25% sobre o que exceder esse montante. A medida entra em vigor a partir de 06 de janeiro de 2020. O próximo foco tende a ser o juro do cartão de crédito. Na próxima semana de 2 a 6 de dezembro haverá um mutirão de renegociação de dívidas em atraso promovidos pelos Bancos Itaú, BB, Caixa, Santander, Bradesco e Banrisul. Com o 13º chegando pode ser boa oportunidade de colocar as contas em dia. Os descontos podem chegar a 92% do valor devido e carência de até 180 dias para quitar a primeira parcela. Ontem a tarde, a revisão de dados na balança comercial de novembro, para mostrar superávit, e não déficit como informado anteriormente, foi o gatilho para a melhora de humor no ambiente de negócios. A pouco o BCB divulgou que o setor público consolidado registrou superávit primário de R$9,4 bilhões em outubro, comparativamente a superávit de R$7,8 bilhões no mesmo mês de 2018, porém a dívida pública bruta chegou a 78,3% do PIB em outubro segundo o órgão, tal dívida compreende o Governo Federal, o INSS e os governos estaduais e municipais. O BCB anunciou leilão de venda de dólares ao mercado à vista para o próximo dia 02 de dezembro, das 9H30 às 9H35 em lote máximo de USD 500 milhões. No exterior, os preços ao consumidor na zona do euro aceleraram mais que previsto em novembro, subindo 1% na base anual, ante os 0,7% de outubro. Nos Estados Unidos, Black Friday, com os negócios em dia atípico e em horário diferenciado.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR INDEX: 0,06%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆ FUTURO: 0,29%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O Supremo Tribunal Federal (STF) fixou o entendimento de que o repasse de informações de órgãos de controle como a Receita Federal e a Unidade de Inteligência Financeira (UIF), antigo Coaf, para instruir investigações criminais do Ministério Público e das polícias civil e federal é amplo e não está sujeito a qualquer tipo de restrição —como uma eventual necessidade de autorização judicial. Especialistas alertavam para o fato de que uma eventual restrição ao compartilhamento de informações no chamado “caso Coaf” poderia repercutir internacionalmente na avaliação do Brasil em termos de atuação na prevenção e no combate à corrupção, podendo prejudicar até a participação e o pleito do Brasil em organismos internacionais.

Se não houver um forte ingresso de recursos estrangeiros até o fim de 2019, a saída dessa classe de investidor do mercado secundário (ações já listadas) da B3 pode se tornar a maior dos últimos 15 anos.

Nesta semana, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou resolução que muda o desenho do cheque especial, estabelecendo que a taxa de juros do produto não poderá superar 8% ao mês -cerca de 150% ao ano. Antes dessa resolução a taxa chegava a 12%. Por outro lado foi permitido aos bancos a cobrança de uma tarifa pela disponibilização de limites de cheque especial superiores a R$ 500,00 e está limitada a 0,25% sobre o que exceder esse montante. O próximo foco tende a ser o juro do cartão de crédito. Na próxima semana de 2 a 6 de dezembro haverá um mutirão de renegociação de dívidas em atraso promovidos pelos Bancos Itaú, BB, Caixa, Santander, Bradesco e Banrisul. Com o 13º chegando pode ser boa oportunidade de colocar as contas em dia. Os descontos podem chegar a 92% do valor devido e carência de até 180 dias para quitar a primeira parcela.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,6% no trimestre encerrado em outubro, atingindo 12,4 milhões de pessoas. Trata-se da primeira queda na série trimestral móvel desde o trimestre encerrado em junho. No trimestre encerrado em julho, a taxa estava em 11,8%. Já no trimestre encerrado em outubro do ano passado, a taxa foi de 11,7%.

 

 

Na agenda externa, Os preços ao consumidor na zona do euro subiram mais do que o esperado em novembro, mostrou estimativa oficial nesta sexta-feira, impulsionados pelo salto nos preços de alimentos e serviços apesar da queda em energia. A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os preços ao consumidor nos 19 países que usam o euro subiram 1,0% na base anual, acelerando ante 0,7% em outubro. No mês, os preços caíram 0,3% em novembro. Os preços de alimentos não processados saltaram 1,8% neste mês sobre o ano anterior, de 0,7% em outubro. Já os preços da energia caíram 3,2% em termo anual, contra queda de 3,1% em outubro. Os preços no setor de serviços, responsáveis por mais de dois terços do Produto Interno Bruto da zona do euro, aceleraram a alta a 1,9% no ano, de 1,5% em outubro. Mas a medida excluindo os componentes mais voláteis, ou o que o Banco Central Europeu chama de núcleo da inflação, acelerou a 1,5% na base anual, de 1,2% em outubro e expectativa de 1,3%. A taxa de desemprego do bloco em outubro foi de 7,5% em outubro, de 7,6% em setembro.

O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, disse nesta sexta-feira que não vê necessidade de expandir o estímulo monetário no momento, ressaltando a preferência do banco central por economizar munição caso a economia sofra um impacto maior devido ao aumento dos riscos no exterior. Kuroda disse que o Banco do Japão tem "amplo espaço" para afrouxar ainda mais e não hesitará em fazê-lo se a desaceleração do crescimento global e a guerra comercial sino-americana ameaçarem atrapalhar o caminho da economia para atingir sua meta de inflação de 2%.Mas ele disse que o atual programa de estímulo é suficiente para aumentar gradualmente os salários e a inflação.

 

 

Nas Bolsas, O mercado acionário da China fechou em baixa nesta sexta-feira, com o índice referencial de Xangai terminando na mínima de três meses, em meio a dúvidas sobre as perspectivas para as negociações comerciais com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,87%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,61%, no nível mais baixo de fechamento desde 26 de agosto. As tensões entre China e Estados Unidos foram retomadas depois da decisão do governo norte-americano de apoiar manifestantes contrários ao governo em Hong Kong. A China alertou os EUA na quinta-feira que vai adotar “contramedidas firmes” em resposta à legislação dos EUA apoiando os manifestantes. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Black Friday.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 28/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,45%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,40%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: -0,45%                          Ásia: -0,47%

Dow Jones Futuro: -0,20%                      Europa (Frankfurt): -0,30%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. O feriado nos Estados Unidos tende a reduzir a liquidez nesta quinta-feira. O Banco Central se adiantou e fez leilão de dólares no mercado à vista nesse começo de manhã, oferecendo USD 1 bilhão, volume totalmente aceito pelos mercados. Foi divulgado a pouco o IGP-M que em novembro subiu 0,30% após alta de 0,68% no mês anterior. No exterior, receios de que a assinatura de uma Lei nos Estados Unidos em apoio a manifestantes em Hong Kong possa estremecer as negociações comerciais entre americanos e chineses fazem parte do noticiário externo. Na zona do euro, o sentimento econômico melhorou em novembro graças ao maior otimismo no setor de serviços e a um melhor humor na indústria e entre os consumidores, com o indicador subindo para 101,3 pontos, ante 100,8 em outubro. A China pretende reduzir barreiras comerciais não tarifárias e ampliar o acesso ao mercado de capitais estrangeiro. Hoje a tarde às 14H30 saem as contas do governo central em outubro por aqui. A recente alta do dólar coloca sob observação a possibilidade da Selic cair em patamar inferior aos 0,5% previstos até semanas atrás, apesar dessa ainda ser a aposta majoritária, até porque a inflação continua abaixo da meta. Começa hoje e termina amanhã a guerra pela formação da Ptax entre os bancos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆    INDEX: 0,03%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,20%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, afirmou que vê o recente movimento do dólar frente ao real com “bastante tranquilidade”, e reforçou que esse conforto é um reflexo tanto da política cambial do Banco Central como do ajuste fiscal promovido pelo governo.

O IGP-M subiu 0,30% em novembro, após alta de 0,68% no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

 

Na agenda externa, A China alertou os Estados Unidos de que irá adotar “contramedidas firmes” em resposta à legislação dos EUA apoiando manifestantes contrários ao governo em Hong Kong, e disse que tentativas de interferir na cidade comandada pela China estão destinadas a falhar. O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou em lei na quarta-feira uma legislação do Congresso que defende os manifestantes, apesar das objeções de Pequim, com a qual Trump busca um acordo para acabar com a guerra comercial. A lei exige que o Departamento de Estado certifique, ao menos anualmente, que Hong Kong é autônomo o suficiente para justificar termos comerciais favoráveis com os EUA que ajudaram a cidade a se tornar um centro financeiro mundial. Também ameaça sanções por violações de direitos humanos. Pequim alertou que os EUA devem arcar com as consequências das contramedidas da China se continuar a “agir arbitrariamente” em relação a Hong Kong.

A China está ponderando banir de seus territórios os autores da lei dos Estados Unidos que apoia manifestantes de Hong Kong, o que inclui a parte continental chinesa além de Macau e Hong Kong, disse o editor-chefe do Global Times, Hu Xijin.Hu, em um tuíte, não deu mais detalhes sobre a medida e não disse como obteve a informação. O Global Times é publicado pelo Diário do Povo, jornal oficial do governista Partido Comunista da China.

A China reduzirá ainda mais as barreiras comerciais não-tarifárias e ampliará o acesso ao mercado de capitais estrangeiros, informou a agência de notícias Xinhua citando um documento do Conselho de Estado. Pequim também acelerará os esforços para construir um sistema de controle de exportação para gerenciar riscos comerciais, relatou a Xinhua, citando o Conselho de Estado, acrescentando que o governo também pede que os países relevantes relaxem os controles de exportação da China. Isso reduzirá as tarifas de importação e aumentará as importações de produtos agrícolas.

Países da zona do euro com espaço fiscal, como a Alemanha, deveriam usá-lo para promover o crescimento em uma região afetada pela guerra comercial global, afirmou uma autoridade do Banco Central Europeu, François Villeroy de Galhau. A escalada nas disputas comerciais desacelerou o comércio global e os efeitos são "muito agudos" na Alemanha, que é dependente de exportação, disse Villeroy, que também é presidente do banco central francês. A dívida pública da zona do euro é menor do que a dos Estados Unidos e do Japão, então a região pode empregar mais estímulos fiscais do que vem usando, afirmou.

O sentimento econômico da zona do euro se recuperou mais do que o esperado em novembro, graças ao maior otimismo no setor de serviços e a um melhor humor na indústria e entre os consumidores, mostraram dados da Comissão Europeia. A pesquisa mensal da Comissão mostrou que o sentimento econômico nos 19 países que compartilham o euro subiu para 101,3 pontos este mês, ante 100,8 em outubro.

O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, aprovou os planos do governo de compilar um pacote de gastos fiscais para alívio de desastres e medidas para ajudar a economia a evitar o aumento dos riscos globais.

O Partido Conservador do Reino Unido está a caminho de obter sua maioria mais robusta no Parlamento desde 1987 na eleição de 12 de dezembro, de acordo com uma nova pesquisa, o que daria ao primeiro-ministro Boris Johnson a autoridade para tirar o país da União Europeia.

 

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China fecharam em baixa nesta quinta-feira com os investidores temendo que a decisão do governo dos Estados Unidos de promulgar uma lei apoiando os manifestantes em Hong Kong possa prejudicar um acordo comercial provisório entre Washington e Pequim. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,34%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,47%. A China alertou os Estados Unidos nesta quinta-feira de que vai adotar "contramedidas firmes" depois que Trump promulgou lei na quarta-feira que defende os manifestantes de Hong Kong. Isso traz nova incerteza para as negociações comerciais. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, Feriado de ação de graças.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 27/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,05%  💱 🇪🇺 EURO  ⬇  ➖0,05%  🗞.

Ibovespa futuro: +0,35%                          Ásia: -0,13%

Dow Jones Futuro: +0,02%                      Europa (Frankfurt): +0,25%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em leve alta no início dos negócios. O Banco Central Brasileiro decidiu agir para evitar que o dólar pudesse ser alavancado a 4,30 no dia de ontem ao realizar duas operações de venda da moeda norte-americana no mercado à vista. Foi importante essa intervenção para acalmar os mercados que viram nas declarações de Paulo Guedes sobre o câmbio de equilíbrio alçar patamares mais altos, um motivo para testar o BCB e entender qual seria a postura da instituição diante da escalada da moeda estrangeira. Outro fato relevante foram as declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto após o encerramento dos negócios afirmando que a autarquia voltará a intervir se preciso for, atenuando distorções nos preços. A conferir. A disparada do dólar pode ser fator preponderante à provocar alta nos preços, mesmo que esses efeitos não sejam sentidos imediatamente, todavia, se o movimento perdurar, a desvalorização do Real pode causar essa percepção de pressão adiante. No exterior, vamos lembrar que amanhã será feriado nos Estados Unidos o que tende a aumentar a cautela e diminuir a liquidez nesta quarta-feira. Na agenda americana temos uma série de indicadores previstos para sair a partir das 10H30 até às 16H, destaque para a segunda leitura do PIB no terceiro trimestre desse ano e pedidos de auxílio-desemprego, ambos às 10H30, índice de preços PCE, renda pessoal e gastos e dados do setor imobiliário, todos às 12H e para finalizar, o livro bege, compilado de informações econômicas do país às 16H, ou seja, diante de um calendário carregado, reação ao sabor das notícias. Christine Lagarde, nova presidente do Banco Central Europeu, diz ser dever da instituição manter o valor do euro estável. Sobre as negociações entre americanos e chineses, os mercados seguem atentos. E após o STF mudar seu entendimento sobre a prisão em segunda instância que vem libertando presos e condenados diariamente, e devido a mais alta corte do país decidir recentemente anular uma sentença de Curitiba e determinar que réus não colaboradores devem apresentar defesa após seus delatores – no caso analisado, o réu delatado apresentou suas alegações finais simultaneamente aos delatores, o TRF-4 decide sobre a nulidade do processo no caso do sítio de Atibaia a qual o ex-presidente Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão, o pedido se baseia em questionamentos sobre a ordem das alegações finais pelos réus, ou seja, os desembargadores podem determinar a nulidade da sentença da 13.ª Vara e a volta do processo para a fase de alegações finais. De qualquer forma, em face do novo entendimento do STF em relação a prisão em segunda instância, o processo de Atibaia não levará o ex-presidente para a cadeia. Enquanto isso Lula segue discursando ao seu público, instigando o “povo” à grave perturbação da ordem ou ameaça de sua erupção com a finalidade de causar instabilidade política no Brasil, fato que não tem sido muito valorizado pela imprensa.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆    INDEX: 0,08%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   FUTURO: 0,05%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, E após o STF mudar seu entendimento sobre a prisão em segunda instância que vem libertando presos e condenados diariamente, e devido a mais alta corte do país decidir recentemente anular uma sentença de Curitiba e determinar que réus não colaboradores devem apresentar defesa após seus delatores – no caso analisado, o réu delatado apresentou suas alegações finais simultaneamente aos delatores, o TRF-4 decide sobre a nulidade do processo no caso do sítio de Atibaia a qual o ex-presidente Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão, o pedido se baseia em questionamentos sobre a ordem das alegações finais pelos réus, ou seja, os desembargadores podem determinar a nulidade da sentença da 13.ª Vara e a volta do processo para a fase de alegações finais. De qualquer forma, em face do novo entendimento do STF em relação a prisão em segunda instância, o processo de Atibaia não levará o ex-presidente para a cadeia. Enquanto isso Lula segue discursando ao seu público, instigando o “povo” à grave perturbação da ordem ou ameaça de sua erupção com a finalidade de causar instabilidade política no Brasil, fato que não tem sido muito valorizado pela imprensa.

O Banco Central Brasileiro decidiu agir para evitar que o dólar pudesse ser alavancado a 4,30 no dia de ontem ao realizar duas operações de venda da moeda norte-americana no mercado à vista. Foi importante essa intervenção para acalmar os mercados que viram nas declarações de Paulo Guedes sobre o câmbio de equilíbrio alçar patamares mais altos, um motivo para testar o BCB e entender qual seria a postura da instituição diante da escalada da moeda estrangeira. Outro fato relevante foram as declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto após o encerramento dos negócios afirmando que a autarquia voltará a intervir se preciso for, atenuando distorções nos preços. A conferir. A disparada do dólar pode ser fator preponderante à provocar alta nos preços, mesmo que esses efeitos não sejam sentidos imediatamente, todavia, se o movimento perdurar, a desvalorização do Real pode causar essa percepção de pressão adiante. No exterior, vamos lembrar que amanhã será feriado nos Estados Unidos o que tende a aumentar a cautela e diminuir a liquidez nesta quarta-feira. Na agenda americana temos uma série de indicadores previstos para sair a partir das 10H30 até às 16H, destaque para a segunda leitura do PIB no terceiro trimestre desse ano e pedidos de auxílio-desemprego, ambos às 10H30, índice de preços PCE, renda pessoal e gastos e dados do setor imobiliário, todos às 12H e para finalizar, o livro bege, compilado de informações econômicas do país às 16H, ou seja, diante de um calendário carregado, reação ao sabor das notícias. Christine Lagarde, nova presidente do Banco Central Europeu, diz ser dever da instituição manter o valor do euro estável. Sobre as negociações entre americanos e chineses, os mercados seguem atentos.

 

Na agenda externa, É dever do Banco Central Europeu manter o valor do euro estável e torná-lo um meio de pagamento seguro, disse a nova presidente do BCE, Christine Lagarde. “Portanto, agora é nosso dever nutrir e sustentar essa confiança – garantindo que as cédulas sejam seguras, os sistemas de pagamentos sejam robustos e o valor do euro seja estável”, disse ela antes de assinar suas primeiras notas de euro em uma cerimônia oficial.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China recuaram nesta quarta-feira uma vez que dados fracos de lucro industrial destacaram a crescente pressão sobre a economia, compensando a declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de um acordo comercial inicial com Pequim está próximo. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,41%, enquanto o índice de Xangai teve perdas de 0,13%. Por outro lado, a maioria dos outros mercados asiáticos teve alta diante das expectativas de um acordo.

 

Nos Estados Unidos, Agenda cheia, pedidos de bens duráveis, segunda leitura do PIB o terceiro trimestre, pedidos de auxílio-desemprego, índice de preços PCE, renda pessoal e gastos e livro bege são os destaques do dia.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 26/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,50%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,55%  🗞

 

Ibovespa futuro: -0,20%                           Ásia: +0,03%

Dow Jones Futuro: +0,05%                      Europa (Frankfurt): -0,14%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. Os mercados não reagem bem à declaração do ministro Paulo Guedes de que diante da redução do juro e o atual cenário econômico o câmbio de equilíbrio “tende a ir para um lugar mais alto”. Como sabemos estamos em uma época de maior procura pela moeda norte-americana, em uma semana que o feriado nos Estados Unidos eleva a cautela e diminui a liquidez, resumindo, não foi um bom momento para esse tipo de declaração. Nos Estados Unidos Jerome Powell deu declarações ontem a noite praticamente confirmando que o juro americano deve se manter inalterado em 2019 diante de um forte mercado de trabalho e perspectivas de que o consumidor continue confiante e gastando. O Banco Central Brasileiro pode intervir de forma mais contundente no mercado oferecendo venda direta de dólares no mercado à vista em quantidade substancial caso pretenda de fato mostrar que não permitirá distorções exacerbadas no preço da moeda. Esse tipo de operação consiste em utilizar recursos de nossas reservas internacionais sem posterior retorno. Normalmente o BCB fica receoso em usar deste instrumento uma vez que as reservas são uma espécie de seguro para o país, evitando uma desconfiança maior por parte do investidor estrangeiro, todavia, visto o robusto colchão de reservas brasileiras, e dado o momento atual, seria prudente usar desta arma, a não ser que o BCB acredite que o dólar em escalada acelerada de alta tenha seu benefício para a economia real, algo que não nos parece viável. Na agenda americana atenção para dados de balança comercial, setor imobiliário e confiança do consumidor que concentram atenções a partir das 10H30 até às 12H. No mais, seguem as expectativas sobre eventual acordo da fase um entre americanos e chineses, amplamente monitorada.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇    INDEX: 0,02%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   FUTURO: 0,65%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Janeiro).

 

Na agenda interna, O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que diante da redução da taxa básica de juros no país, o câmbio de equilíbrio "tende a ir para um lugar mais alto". "Quando você tem um fiscal mais forte e um juro mais baixo, o câmbio de equilíbrio também ele é mais alto", afirmou Guedes em entrevista coletiva na embaixada brasileira em Washington. O ministro frisou que o Brasil tem uma moeda forte e que flutuações no câmbio não são motivo de preocupação. "Temos um câmbio flutuante, então ele flutua. Às vezes ele está um pouco acima, por exemplo, quando o juro desce, ele sobe um pouco." O ministro também rechaçou preocupações com o aumento do déficit em transações correntes do país, destacando que os resultados têm refletido uma recuperação da economia e ainda são plenamente financiáveis pelos investimentos diretos no país.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende encaminhar um novo projeto de lei que daria direito total de reação a uma pessoa que tiver sua propriedade invadida por um estranho. De acordo com o presidente, a proposta seria enviada esta semana e seria mais um dos três projetos na área de segurança que o governo prepara. A intenção, disse, é esclarecer como a pessoa pode se comportar dentro de casa no caso de uma invasão. “Queremos garantia absoluta de que dentro da sua casa você pode tudo contra um invasor, tá certo?”, disse Bolsonaro em rápida entrevista na chegada ao Palácio da Alvorada. Atualmente o código penal prevê o direito à legítima defesa, mas com restrições. O código diz que “Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem". A interpretação dada ao texto penal é de que é preciso ser confirmado que a reação foi proporcional ao risco, e não impede o autor de ser processado e cumprir pena.

 

Na agenda externa, Negociadores comerciais da China e dos Estados Unidos conversaram por telefone nesta terça-feira, afirmou o Ministério do Comércio chinês, conforme os dois lados tentam fechar a "fase um" de um acordo em uma guerra comercial que se arrasta há 16 meses. O vice-premiê chinês, Liu He, conversou com o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin. Eles discutiram questões relacionadas à fase um do acordo e concordaram em manter comunicação sobre os assuntos restantes, disse o ministério. Eles também discutiram "questões centrais de preocupação" e chegaram a um "entendimento comum para resolver problemas relevantes", disse. A finalização da fase um de um acordo era esperada em novembro, mas especialistas comerciais e pessoas próximas à Casa Branca disseram na semana passada que ele pode ficar para o próximo ano, conforme Pequim pressiona por mais recuos das tarifas e Washington responde com suas próprias demandas.

A China manterá o crescimento econômico dentro de um intervalo razoável pelos próximos cinco anos, disse o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang acrescentando que o ambiente externo pode ficar mais complicado, com mais incertezas e desafios. Li fez os comentários em uma reunião do governo, no momento em que o governo chinês estuda o 14º plano econômico de cinco anos, para o período 2021-2025, apresentando medidas-chave de apoio político para abrir ainda mais sua economia, de acordo com um comunicado no site do Conselho de Estado.

 

Nas Bolsas, As ações blue-chips da China avançaram nesta terça-feira e o índice de Xangai terminou com ganhos diante da recuperação de empresas de alta tecnologia e do renovado otimismo sobre o acordo comercial com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,35%, enquanto o índice de Xangai teve ganho de 0,03%. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, A política monetária está "bem posicionada" para apoiar o forte mercado de trabalho, que agora está começando a beneficiar os trabalhadores nas margens, disse o presidente do Federal Reserve Jerome Powell ontem a noite. Powell disse que ouviu histórias de empregadores e escolas que colaboram para treinar e contratar pessoas com vários níveis de educação e trabalhadores com deficiência, em declarações feitas em um jantar anual para a Câmara de Comércio da Grande Providência. "Agora, os benefícios da longa expansão estão atingindo muitas comunidades e há muito espaço para aproveitar os impressionantes ganhos alcançados até agora", disse Powell em seus comentários. O presidente do Fed disse que as autoridades têm uma perspectiva favorável para a economia norte-americana baseada em fortes gastos do consumidor, que é reforçada por um mercado de trabalho robusto, aumentando a renda e a sólida confiança do consumidor. Ainda assim, ele disse que o fraco crescimento global e a incerteza comercial estão impedindo o crescimento e que os formuladores de políticas "responderão adequadamente" se os dados econômicos levarem a uma "reavaliação material" de suas perspectivas econômicas.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 25/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,25%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,15%  🗞.

 

Ibovespa futuro: +0,10%                          Ásia: +0,72%

Dow Jones Futuro: +0,25%                      Europa (Frankfurt): +0,48%.

 

No mercado de câmbio: Dólar operando em alta no início dos negócios. O BCB ofertou mas não houve interesse pelos dólares no mercado à vista bem como contratos de swaps reversos nesta manhã. Em um período sazonal de maior procura pela moeda norte-americana os mercados esperam que a instituição melhore a liquidez do sistema não de forma casada – à vista x swaps reversos (futuros) – , mas seria sugestivo e intencional que o fizesse ofertando dólares no mercado à vista sem conjugar com a oferta de swaps reversos, ou mesmo faça leilões de linha direta com posterior recompra por parte da autarquia. Seriam movimentos capazes de reduzir a pressão, aumentar o interesse e diminuir o preço. Até porque aquele estrangeiro que havia colocado recursos no país esperando em troca ganhar rendimentos exorbitantes utilizando-se do juro, no chamado capital especulativo, tem retirado esses recursos do país em face do momento atual de juro baixo em virtude de se colocar como prioridade a melhora da atividade econômica brasileira, o que já se pode observar de forma gradual. O horizonte para 2020 se mostra interessante nesse sentido. A melhora das condições econômicas e suas projeções poderão atrair num futuro não tão distante o capital de qualidade, com o investidor estrangeiro retornando em um cenário de crescimento se formando. Até lá… Também não se espera que o Banco Central Brasileiro permita que as cotações fujam da normalidade,  portanto, deve combater distorções de preço. Nesta manhã o que não agradou muito foram os dados sobre transações correntes no Brasil. O resultado mostrou déficit de  USD 7,9 bilhões em outubro confirmando o panorama atual. Por falar em Banco Central o boletim Focus trouxe as seguintes estimativas para o final de 2019: IPCA: 3,46%, USD 4,10, PIB: 0,99%, SELIC: 4,50%, PROD. INDL.: -0,70%, BALANÇA COML.: USD 44,60 Bilhões e INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 77 Bilhões. No exterior, alguma expectativa positiva sobre as negociações entre americanos e chineses está no ar, mas, em virtude do feriado nos Estados Unidos na quinta-feira, fica complicado cravar que as potências vão se reunir ainda essa semana para tratar suas diferenças e finalizar a fase um do acordo esperado pelos mercados. Uma das hipóteses seria um eventual adiamento de tarifas à produtos chineses prometido para meados de dezembro pelos americanos, algo que poderia atenuar preocupações. Sobre a China, O Banco do Povo, BC Chinês, em seu relatório anual de estabilidade financeira, disse que o país continuará implementando uma política fiscal proativa e uma política monetária prudente, em um momento de pressão de baixa na economia.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆    INDEX: 0,07%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   FUTURO: 0,22%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O BCB ofertou mas não houve interesse pelos dólares no mercado à vista bem como contratos de swaps reversos nesta manhã. Em um período sazonal de maior procura pela moeda norte-americana os mercados esperam que a instituição melhore a liquidez do sistema não de forma casada – à vista x swaps reversos (futuros) – , mas seria sugestivo e intencional que o fizesse ofertando dólares no mercado à vista sem conjugar com a oferta de swaps reversos, ou mesmo faça leilões de linha direta com posterior recompra por parte da autarquia. Seriam movimentos capazes de reduzir a pressão, aumentar o interesse e diminuir o preço. Até porque aquele estrangeiro que havia colocado recursos no país esperando em troca ganhar rendimentos exorbitantes utilizando-se do juro, no chamado capital especulativo, tem retirado esses recursos do país em face do momento atual de juro baixo em virtude de se colocar como prioridade a melhora da atividade econômica brasileira, o que já se pode observar de forma gradual. O horizonte para 2020 se mostra interessante nesse sentido. A melhora das condições econômicas e suas projeções poderá atrair num futuro não tão distante o capital de qualidade, com o investidor estrangeiro retornando em um cenário de crescimento se formando. Até lá… Também não se espera que o Banco Central Brasileiro permita que as cotações fujam da normalidade,  portanto, deve combater distorções de preço. Nesta manhã o que não agradou muito foram os dados sobre transações correntes no Brasil. O resultado mostrou déficit de  USD 7,9 bilhões em outubro confirmando o panorama atual. Por falar em Banco Central o boletim Focus trouxe as seguintes estimativas para o final de 2019: IPCA: 3,46%, USD 4,10, PIB: 0,99%, SELIC: 4,50%, PROD. INDL.: -0,70%, BALANÇA COML.: USD 44,60 Bilhões e INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 77 Bilhões. No exterior, alguma expectativa positiva sobre as negociações entre americanos e chineses está no ar, mas, em virtude do feriado nos Estados Unidos na quinta-feira, fica complicado cravar que as potências vão se reunir ainda essa semana para tratar suas diferenças e finalizar a fase um do acordo esperado pelos mercados. Uma das hipóteses seria um eventual adiamento de tarifas à produtos chineses prometido para meados de dezembro pelos americanos, algo que poderia atenuar preocupações.

 

Na agenda externa, A pressão de baixa sobre a economia chinesa está aumentando e os riscos e problemas em potencial serão difíceis de eliminar a curto prazo, afirmou o banco central da China. O Banco do Povo da China, em seu relatório anual de estabilidade financeira, disse que a China continuará implementando uma política fiscal proativa e uma política monetária prudente.

A moral dos negócios alemães aumentou em novembro e a maior economia da Europa está a caminho de crescer 0,2% no quarto trimestre, com sua força doméstica mais do que compensando uma recessão industrial. O instituto Ifo, com sede em Munique, disse que seu índice de clima de negócios subiu para 95,0 em novembro, ante 94,7 em outubro. A leitura de novembro ficou em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters.A maior economia da Europa está passando por um momento difícil à medida que suas indústrias, orientadas para a exportação, lutam contra os prejuízos de uma guerra comercial, de uma indústria automobilística em dificuldades e das incertezas sobre a saída planejada do Reino Unido da União Europeia. Todavia, as perspectivas de crescimento para a zona do euro permanecem incertas, uma vez que o crescimento dos negócios na região quase estagnou este mês.

A China disse que os Estados Unidos deveriam parar de abusar do conceito de segurança nacional bem como de empresas chinesas depois que os norte-americanos classificaram as companhias de tecnologia Huawei e ZTE como riscos à segurança nacional.O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, fez os comentários durante um briefing diário.A Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos EUA votou por 5-0 na sexta-feira para designar a Huawei e a ZTE como riscos à segurança nacional, impedindo seus clientes de operadoras rurais dos EUA de usarem um fundo do governo de 8,5 bilhões de dólares para comprar equipamentos.

Os democratas de Hong Kong conseguiram uma grande vitória nas eleições de conselhos distritais, que tiveram um comparecimento recorde após seis meses de protestos antigoverno, aumentando a pressão para a líder da cidade sob controle chinês ouvir os apelos por democracia, nesta segunda-feira.

As eleições de domingo representaram uma pausa rara nos tumultos às vezes violentos, e os candidatos pró-democracia conquistaram quase 90% dos 452 assentos dos conselhos distritais, noticiou a emissora RTHK, apesar de uma oposição pró-establishment mobilizada e rica em recursos.A executiva-chefe de Hong Kong, Carrie Lam, que tem postura pró-Pequim, disse em um comunicado que o governo respeita os resultados e que deseja "que a situação pacífica, segura e ordeira continue"."Há várias análises e interpretações na comunidade em relação aos resultados, e um número considerável é da opinião de que os resultados refletem a insatisfação do povo com a situação atual e os problemas enraizados da sociedade", disse.

O governo "ouvirá as opiniões dos membros do público humildemente e refletirá seriamente".

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China começaram a semana em alta nesta segunda-feira, sustentados por novas expectativas de avanço nas negociações comerciais com os Estados Unidos após declarações positivas de ambos os lados. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,73%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,72%. Na sexta-feira, os líderes dos EUA e da China destacaram seu desejo de assinar um acordo comercial inicial e acabar com 16 meses de guerra tarifária. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, não são esperadas notícias de primeira linha.

 

Fonte: Reuters.

 

Panorama de Mercado 22/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,1%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,15%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: +0,28%                          Ásia: -0,63%

Dow Jones Futuro: +0,16%                      Europa (Frankfurt): +0,23%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Nas incessantes idas e vindas que configuram a relação entre americanos e chineses, o capítulo atual remete à declarações do presidente chinês Xi Jinping afirmando que o país quer fazer acordo baseado em respeito mútuo, evitar uma guerra comercial, trabalhar para concluir a “primeira fase” dos termos até pouco tempo atrás dados como praticamente acertados entre as potências, acrescentando que os asiáticos não tem medo de retaliar se necessário. Essa última parte faz lembrar que, caso os países não entrem em acordo até meado de dezembro são esperadas tarifações americanas sobre bilhões de dólares em mercadorias chinesas, incluindo itens como presentes de final de ano, eletrônicos e decorações de natal por exemplo. O principal negociador chinês Liu He disse estar “cautelosamente otimista” e uma nova rodada de negociações é aguardada, provavelmente na próxima semana. Se o encontro for bem sucedido uma suspensão de imposição tarifária pode vir por aí. De qualquer maneira os mercados emergentes se beneficiam de tais declarações nesse encerramento de semana com apetite moderado ao risco sendo observado, ao menos nesse começo da manhã. Vale lembrar que é um ambiente propício a volatilidade ao sabor das notícias. Na zona do euro o crescimento empresarial ficou praticamente estagnado em novembro com o PMI composto cravando 50,3, ante 50,6 em outubro. A marca de 50 separa crescimento de contração. Na agenda americana, dados de atividade e o índice de confiança do consumidor em novembro, são importantes, e saem a partir das 11H45. Por aqui, o índice nacional de preços ao consumidor amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,14% em novembro após avanço de 0,09% no mês anterior, no menor patamar para um mês de novembro em 21 anos mantendo o espaço para o COPOM reduzir o juro na última reunião de 2019. E os bancos Credit Suisse, UBS, J.P Morgan, Goldman Sachs além da agência de classificação de risco Moody`s acreditam, com maior e menor convicção que o Brasil será destaque entre os emergentes ano que vem. Essas afirmações foram dadas em relatórios das instituições. Nesse contexto, fica a expectativa para que as agências de classificação de risco nos devolvam o “grau de investimento”, aquele selo de bom pagador, que pode impulsionar os investimentos estrangeiros no país. Se as reformas estruturais forem gradualmente sendo aprovadas no Congresso, sem que sejam desidratadas por demais, essa chance aumenta consideravalmente. No mais, o BCB vendeu parcialmente dólares no mercado a vista, do mesmo modo,  contratos de swaps cambiais reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   INDEX: 0,05%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,17%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O governo enviou ao Congresso a nova proposta que amplia o chamado excludente de ilicitude, que reduz a possibilidade de policiais e militares serem punidos em casos de mortes em serviço durante ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) questionaram o fato de o chamado caso Coaf ter sido incluído no processo que está em julgamento iniciado na véspera sobre a adoção de eventuais limites no compartilhamento de dados da Receita Federal com órgãos de investigação, como o Ministério Público. Durante sessão de ontem, os ministros Marco Aurélio Mello, Ricardo Lewandowski, Edson Fachin e Rosa Weber fizeram comentários sobre a inclusão no debate sobre procedimentos de compartilhamento de dados da Unidade de Inteligência Financeira (UIF), antigo Coaf. A alegação deles, de maneira geral, é que o tipo de recurso que está em julgamento, chamado de recurso extraordinário, tem legalmente um objeto específico. No caso, trata-se da contestação de uma ação penal contra donos de postos de combustíveis, que protestaram sobre o fato de a Receita ter repassado a procuradores dados bancários sem autorização judicial. Não poderia, dessa forma, se debater nesse julgamento o Coaf, alertaram os ministros. Na sustentação oral que apresentou na quarta-feira, o procurador-geral da República, Augusto Aras, apresentou formalmente uma questão de ordem para excluir a questão do Coaf do julgamento, deixando apenas a discussão em torno da Receita. Na prática, esse tipo de questionamento de Aras terá de ser enfrentado por todos os ministros em seus votos. Até o momento, somente votaram os ministros Dias Toffoli, relator do processo, e Alexandre de Moraes. Ambos concordaram com o debate conjunto –Coaf e Receita– neste recurso. Faltam 9 ministros a votar e o julgamento será retomado na próxima quarta-feira à tarde.

Credit Suisse, UBS, J.P Morgan, Goldman Sachs além da agência de classificação de risco Moody`s acreditam, com maior e menor convicção que o Brasil será destaque entre os emergentes ano que vem. Essas afirmações foram dadas em relatórios das instituições. Nesse contexto, fica a expectativa para que as agências de classificação de risco nos devolvam o “grau de investimento”, aquele selo de bom pagador, que pode impulsionar os investimentos estrangeiros no país. Se as reformas estruturais forem gradualmente sendo aprovadas no Congresso, sem que sejam desidratadas por demais, essa chance aumenta consideravalmente.

 

Na agenda externa, A China quer desenvolver um pacto comercial inicial com os Estados Unidos e vem tentando evitar uma guerra comercial, afirmou o presidente Xi Jinping, mas não tem medo de retaliar quando necessário. Economistas alertam que uma disputa prolongada entre as duas maiores economias do mundo está elevando os riscos para a economia global ao prejudicar as cadeias de oferta, reduzir o investimento e conter a confiança empresarial. “Queremos trabalhar pela ‘fase um’ do acordo com base em respeito mútuo e igualdade”, disse Xi a representantes de um fórum internacional.

Exportações fortes, gastos estatais e os consumidores ajudaram a economia da Alemanha a evitar a recessão no terceiro trimestre, mostraram dados detalhados confirmando a leitura preliminar de expansão de 0,1% no trimestre. A Agência Federal de Estatísticas disse que as exportações cresceram 1% no trimestre e que o comércio contribuiu com 0,5 ponto percentual para a expansão econômica.

O crescimento empresarial da zona do euro ficou praticamente estagnado em novembro uma vez que a atividade no dominante setor de serviços aumentou a um ritmo muito mais fraco do que o esperado e houve contração na indústria novamente. O PMI Composto preliminar do IHS Markit ficou em 50,3 neste mês, de 50,6 em outubro e muito perto da marca de 50 que separa crescimento de contração.

O núcleo da inflação anual ao consumidor do Japão teve leve alta em outubro apesar do aumento do imposto sobre vendas durante o mês, sugerindo que o fraco sentimento das famílias está impedindo as empresas de repassar os custos mais altos. Os dados ressaltam o desafio que o Banco do Japão enfrenta para acelerar a inflação para sua meta de 2%, à medida que a demanda global fraca e a guerra comercial entre Estados Unidos e China obscurecem as perspectivas para a economia dependente de exportação. O núcleo do índice nacional de preços ao consumidor do Japão, que inclui custos de petróleo mas exclui os preços voláteis de alimentos frescos, subiu 0,4% em outubro em relação ao ano anterior.

A China vai manter o iuan basicamente estável dentro de um intervalo razoável e não irá recorrer à desvalorização competitiva, disse o premiê chinês Li Keqiang. Pequim vai avançar com a reforma da moeda baseada no mercado, disse Li segundo a China Central Television, em uma reunião com Kristalina Georgieva, diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI). A China abrirá ainda mais seus setores bancário, de valores mobiliários e de seguros, disse Li, acrescentando que está trabalhando no objetivo de retirar totalmente as restrições à propriedade estrangeira nesses setores.

 

Nas Bolsas, As ações da China registraram seu menor fechamento em quase três meses nesta sexta-feira, em meio a preocupações com a deterioração das relações com os Estados Unidos depois que dois navios de guerra dos norte-americanos navegaram perto de ilhas reivindicadas pela China, conforme os EUA defendem os manifestantes em Hong Kong. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 1%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,63%, tocando seu menor nível desde 26 de agosto durante a sessão. Navios de guerra da Marinha dos EUA navegaram duas vezes perto das ilhas reivindicadas pela China no Mar da China Meridional nos últimos dias, disseram as forças armadas norte-americanas à Reuters, em um momento de maior tensão entre as duas maiores economias do mundo. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, dados de atividade e a confiança do consumidor saem a partir das 11H45.

 

Fonte: Reuters.