Panorama de Mercado 23/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,05%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,09%  🗞 .

 

Ibovespa futuro:  +0,18%           Ásia: -0,43%

Dow Jones Futuro: -0,02%        Europa (Frankfurt): +0,02%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em leve baixa no início dos negócios. Bem que a expectativa era de que a reforma da previdência fosse finalizada ainda ontem, mas, uma emenda apresentada pelo PT, levantou dúvidas em relação à sua validade, que será analisada pela consultoria legislativa do Senado que dará o seu parecer. Também corria-se o risco de em caso de aprovação do pedido, houvesse uma desidratação da reforma em aproximadamente R$ 76 bilhões. As respostas e finalização da reforma tendem a acontecer nesta manhã, com os mercados aguardando. Quem entra em cena hoje é o STF, que novamente julgará a validade da prisão após condenação em segunda instância. Em 2016 a mais alta corte do país entendia que esse tipo de prisão era possível, agora, se o entendimento for outro, milhares de réus condenados serão postos às ruas, e um dos beneficiados será o ex-presidente Lula. E por falar em ex-presidentes, Lula e Dilma ficaram de fora do texto final da CPI do BNDEs após acordo costurado entre a bancada do PT e o centrão junto ao relator da CPI, Altineu Côrtes (PL-SP). A CPI  que investiga irregularidades no Banco, sofreu um processo de articulação para que nem relatório tivesse, portanto, o simples fato de haver um relatório sugerindo o indiciamento de 54 pessoas, entre eles Joesley e Wesley Batista, foi considerado uma meia pizza. Segundo o presidente da CPI, uma vasto material como relatórios, dados e delações poderiam enriquecer  a CPI do BNDEs sendo instrumentos para que a condenação chegasse a mais pessoas envolvidas no processo. Ainda no campo político, Eduardo Bolsonaro, desistiu da embaixada em Washington, e se dedicará ao seu trabalho como parlamentar, para com o qual foi eleito. Problemas internos para solucionar em seu partido, o PSL, é o que não faltam. No exterior, Boris Johnson, ao mesmo tempo em que conseguiu que o parlamento inglês aceitasse o acordo alinhado com a União Europeia em princípio, não obteve o apoio em relação ao prazo, resultando em um pedido de adiamento sobre a separação que será analisado pelos líderes da União Europeia. O mais provável é que o bloco apoie e estenda por um período de até três meses para que enfim a retirada do Reino Unido se concretize. O único entrave é a França, que deseja um prazo bem menor para dar seu aval. Qualquer adiamento tem que ser unânime entre os 27 membros do bloco. A China diz que aumentará as importações de alguns bens, incluindo produtos agrícolas, de consumo e de componentes, como parte de seus esforços para estabilizar o comércio exterior. Em paralelo manterá sua moeda basicamente estável e reservas razoáveis de câmbio, enquanto negocia com os Estados Unidos a finalização da fase um do acordo entre as potências que deve acontecer em novembro. O BCB vendeu parcialmente seu lote de dólares no mercado a vista e contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,01%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,10%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou ontem, 22, relatório final que sugere indiciamento de 54 pessoas, entre elas o ex-presidente do banco Luciano Coutinho e empresários Joesley e Wesley Batista, do grupo J&F. Os nomes dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, foram excluídos do texto. Os ex-presidentes petistas acabaram ficando de fora do texto final após acordo costurado na semana passada entre a bancada do PT e os partidos do chamado Centrão com o relator da CPI, Altineu Côrtes (PL-SP). Outros 10 nomes acabaram excluídos do texto final. Apesar da aprovação do texto, a deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF) reclamou do texto final. “Foi uma meia pizza. Sem os nomes de Dilma e Lula, o relatório fica esvaziado. Por isso, vou encaminhar ao Ministério Público o meu voto em separado com todos os indiciamentos originais”, afirmou a parlamentar.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, anunciou na tribuna da Câmara que desistiu da indicação para a embaixada em Washington e irá continuar no Brasil como parlamentar.

O Senado encerrou ontem a sessão de votação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência sem concluir a análise de destaques que poderiam alterar o texto, diante do risco de derrota na votação de uma emenda Petista que, se aprovada, poderia ter um impacto de até 70 bilhões de reais em uma década.

 

 

Na agenda externa, A China aumentará as importações de alguns bens, incluindo produtos agrícolas, de consumo e de componentes, como parte de seus esforços para estabilizar o comércio exterior. Em paralelo manterá sua moeda basicamente estável e reservas razoáveis de câmbio.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China fecharam em baixa nesta quarta-feira, em meio à fraqueza nas ações do setor imobiliário conforme perdem forças as expectativas de suporte do governo para impulsionar a economia. O índice CSI300 .CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,64%, enquanto o índice de Xangai .SSEC teve queda de 0,43%. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, a agenda não reserva notícias de primeira linha.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 22/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,55%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,80%  🗞 .

 

Ibovespa futuro:  -0,10%           Ásia: +0,50%

Dow Jones Futuro: -0,05%        Europa (Frankfurt): +0,09%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Após longos oito meses, é chegada a conclusão da votação em segundo turno da PEC da previdência junto ao Senado. A estimativa de economia fiscal em 10 anos da proposta deve ficar na casa dos R$ 800 bilhões. A equipe econômica trabalhava com a meta de R$ 1 trilhão, mas vale lembrar que, além da PEC paralela que busca incluir Estados e munícipios na reforma que pode entrar na pauta a partir de amanhã, tivemos a aprovação da MP de combate a fraudes previdenciárias que visa gerar mais alguns bilhões de economia aos cofres públicos. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) vota pela manhã, a partir das 11H, as últimas emendas à PEC, e a tarde a proposta deve finalizar em segundo turno junto ao plenário do Senado. Os mercados trabalham com um cenário prospectivo de aprovação do atual texto, sem novas desidratações. Com a dívida atingindo praticamente 80% do PIB, a reforma pretende equilibrar as contas públicas e atenuar a pressão fiscal. Os efeitos da sua aprovação poderão ser sentidos mais claramente no médio e longo prazos, provocando uma melhora na capacidade de investimentos federais, dando novo ânimo ao investidor estrangeiro e às agencias de classificação de risco que tendem a no mínimo manter o grau de investimento do país enquanto observam a recuperação da atividade esperada. Em suma é isso. A pouco, o IBGE informou que o IPCA-15, considerado a prévia da inflação oficial, subiu 0,09% em outubro, mesmo ritmo em relação ao mês anterior. No exterior, China e Estados Unidos dão demonstrações de que algum progresso se confirma em suas negociações, o que pode resultar na divulgação de detalhes e assinatura do acordo em relação a fase um, em novembro. No Reino Unido, Boris Johnson segue em busca de apoio, em um parlamento dividido, para aprovar um acordo alinhado junto a União Europeia, e nesta tarde, por volta das 15H, o parlamento britânico deve votar a questão. Na agenda americana, dados sobre vendas de casas usadas em setembro saem às 11H. O BCB ofertou a pouco, sem sucesso, dólares no mercado à vista, e swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,16%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,70%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, A conclusão da votação da reforma da Previdência no Senado deve concentrar as atenções nesta terça-feira, em meio a um maior otimismo sobre as negociações entre Estados Unidos e China. A Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ) vota pela manhã as últimas emendas apresentadas à PEC da Previdência, e à tarde a proposta deve ser votada em segundo turno no plenário do Senado. A votação ocorre um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que não há uma crise política e nem riscos para a aprovação final do texto no plenário da Casa, apesar do racha em seu partido, o PSL. O cenário básico nas mesas de negociações é a aprovação do atual texto, sem surpresas ou desidratação.

 

Na agenda externa, A China e os Estados Unidos tiveram algum progresso em suas negociações comerciais, afirmou o vice-ministro das Relações Exteriores, Le Yucheng, e qualquer problema pode ser resolvido desde que um lado respeite o outro. O mundo quer que a China e os EUA encerrem sua guerra comercial, disse ele. Isso exige abertura e não uma “dissociação” dos países ou uma nova Guerra Fria.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China recuperaram as perdas iniciais e fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionados pelas empresas de tecnologia conforme os investidores comemoram seus resultados sólidos no momento em que o governo busca sustentar o setor em meio à guerra comercial. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,39%, enquanto o índice de Xangai teve ganho de 0,5%. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que os esforços para pôr fim à guerra comercial entre EUA e China vão bem, embora as duas maiores economias do mundo continuem a divergir sobre comércio e política globalmente mesmo com o anúncio da esperada trégua neste mês.

 

Nos Estados Unidos, vendas de casas usadas às 11H, formam a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 21/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,70%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,75%  🗞.

 

Ibovespa futuro:  +0,10%           Ásia: +0,05%

Dow Jones Futuro: +0,06%        Europa (Frankfurt): +1,10%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. O boletim Focus do Banco Central trouxe as seguintes estimativas do mercado para o final de 2019. São elas: IPCA: 3,26%, PIB: 0,88%, USD: 4,00, SELIC: 4,5%, PROD. INDL.: -0,65%, BALANÇA COMERCIAL: USD 48,85 Bilhões, INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 80 Bilhões. Como temos observado, se confirmaram expectativas em relação à queda no IPCA, e na Selic. Por isso é ficar atento às próximas medições em relação ao USD, visto que é possível que sua projeção seja elevada em breve. Muitos são os fatores que estão sendo monitorados, e nesta semana, atenção para a votação do segundo turno da previdência no Senado, previsto para acontecer amanhã enquanto o PSL segue em guerra interna. O atual líder do governo na Câmara, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), apresentou lista com 29 assinaturas para nomear Eduardo Bolsonaro como novo líder do partido, elevando a tensão com o atual presidente da sigla, deputado Luciano Bivar. Na quarta-feira, o STF tende a derrubar a prisão em segunda instância, livrando milhares de réus condenados de seus encarceramentos, dentre eles o ex-presidente Lula. Ainda hoje se reúnem, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, Senado, Davi Alcolumbre e o ministro da economia Paulo Guedes, no sentido de alinhar a agenda de reformas e privatizações pós-previdência. Sobre a reforma tributária, dificilmente ela sairá esse ano, e se lembrarmos que 2020 é ano de eleições já podemos esperar por dificuldades maiores, portanto, possibilidade ampla de acelerar a reforma administrativa e agenda de privatizações, enquanto se busca um caminho para a reforma tributária. O presidente Bolsonaro está no Japão, em uma viagem de 10 dias pela Ásia e Oriente Médio com a missão de atrair novos investimentos em alguns setores, como por exemplo, infraestrutura, defesa, energia e agronegócio. É possível que Guedes se junte a comitiva presidencial em breve. O BCB vendeu parcialmente seu lote de dólares no mercado à vista, bem como a quantidade de contratos de swaps reversos. No exterior, clima efervescente, afinal, após o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson alinhar um acordo sobre a saída da União Europeia, o parlamento decidiu não decidir, adiando para hoje, se o referenda ou não. Fato é que seguem as dúvidas sobre se o país deve sair com um acordo, sair sem um acordo ou convocar outro referendo. Ainda hoje saberemos. Após as 12H30 membros do Federal Reserve e do Banco Central Europeu tecem comentários sobre política monetária. Nesta semana, o BCE decide sobre juro na próxima quinta-feira, seguido da última coletiva de Mário Draghi, presidente da instituição que está passando o bastão para Cristine Lagarde. Hoje o Banco Central Alemão afirmou que a economia pode ter se contraído nos três meses encerrados em setembro, acrescentando que não espera uma recessão.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,06%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   FUTURO: 0,49%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não há uma crise política e nem riscos para a aprovação final da reforma da Previdência no Senado, prevista para terça-feira, apesar do racha dentro de seu partido, o PSL. "É o Senado que resolve amanhã. Eu estou tranquilo e o Parlamento está tranquilo também. A responsabilidade é de todos nós", disse o presidente a jornalistas durante um passeio pelas ruas de Tóquio, primeira parada de uma viagem de 10 dias pela Ásia e o Oriente Médio.

 

Na agenda externa, O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, tentará submeter o acordo fechado com a União Europeia para a saída do Reino Unido do bloco mais uma vez a uma votação no Parlamento nesta segunda-feira, depois de ser forçado por oponentes a enviar uma carta ao bloco pedindo um adiamento. Faltando somente 10 dias para a desfiliação, agendada para 31 de outubro, a ruptura voltou a ficar em xeque, já que a classe política britânica discute se o país deve sair com um acordo, sair sem um acordo ou convocar outro referendo. Embora Johnson tenha firmado um pacto em conversas exaustivas com autoridades da UE na semana passada, não era certo que o presidente da Câmara dos Comuns permitiria uma votação do acordo hoje. No sábado, Johnson foi emboscado por oponentes no Parlamento que exigiram uma mudança no andamento da ratificação do pacto, sujeitando o premiê a uma lei que o obriga a pedir um adiamento até 31 de janeiro.

O banco central do Japão “certamente” reduzirá as taxas de juros de curto a médio prazos caso seja necessário flexibilizar a política monetária, disse o presidente da autoridade monetária, Haruhiko Kuroda, sugerindo que o aprofundamento das taxas negativas será a principal ferramenta para combater os riscos crescentes no exterior.

A China deixou inalterada sua nova taxa de empréstimo referencial, sugerindo que o governo quer evitar afrouxar demais a política monetária por temores de que possa elevar os já altos níveis de dívida na economia.

A economia alemã pode ter se contraído nos três meses encerrados em setembro, e uma desaceleração nas exportações agora ameaça afetar a economia doméstica, informou o banco central da Alemanha. A maior economia da zona do euro desacelerou com força no último ano uma vez que seu tradicional motor de crescimento, as exportações, sentiu o peso da guerra comercial global. "A produção econômica da Alemanha pode ter encolhido de novo ligeiramente no terceiro trimestre de 2019", disse o Bundesbank em relatório mensal. "O fator decisivo aqui é a contínua contração da indústria orientada para exportações." Essa contração começa a afetar o resto da economia, disse o Bundesbank, acrescentando no entanto que não espera uma recessão.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários chineses fecharam em alta nesta segunda-feira, em meio a expectativas de que a China e os Estados Unidos possam assinar um acordo comercial e que Pequim continuará com sua política de suporte à economia. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,3%, enquanto o índice de Xangai teve ganho de 0,05%. O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou acreditar que um acordo comercial entre os dois países será assinado até a reunião da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) no Chile, nos dias 16 e 17 de novembro. O vice-premiê chinês, Liu He, disse no sábado que a China irá trabalhar com os EUA para lidar com as principais preocupações um do outro com base em igualdade e respeito mútuo, e que acabar com a guerra comercial será bom para ambos os lados e para o mundo. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Discurso de membro do FOMC, é esperado a partir das 12H30.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 18/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,50%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,37%  🗞 .

 

Ibovespa futuro:  +0,02%           Ásia: %

Dow Jones Futuro: -0,12%        Europa (Frankfurt): %.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios, seguindo o comportamento da moeda no exterior. A China pretende crescer em 2019 a uma taxa entre 6% a 6,5%, essa é a meta. O terceiro trimestre mostrou que os asiáticos observaram um crescimento econômico da ordem de 6%, foi isso que o PIB do período identificou, ou seja, desaceleração causada principalmente pela guerra comercial com os Estados Unidos levou o alvo do governo para o piso. Se trata do ritmo mais fraco em quase 30 anos. Por outro lado, a produção industrial subiu à uma taxa anual de 5,8% em setembro, após uma mínima de 17 anos relatada em agosto. Já as vendas no varejo chinês subiram 7,8% no mês passado em relação ao ano anterior. Não é de se estranhar portanto, a busca de um acordo, mesmo que parcial, que possa minimizar os efeitos do impasse comercial. Vale lembrar que nesse jogo, os americanos também enxergam, ainda em menor intensidade, riscos para o setor manufatureiro do país que podem minar a confiança do empresário e do consumidor, receosos de que esse movimento possa se espalhar para a economia em geral em um horizonte não muito distante, lembrando que, em 2020 eleições presidenciais batem à porta, e, Donald Trump vai buscar se reeleger. Peter Navarro, assessor comercial da Casa Branca disse hoje que em novembro será formalizada a fase um do acordo comercial com a China. “Estamos no caminho certo”, emendou. Deixando um pouco de lado o embate comercial entre as maiores potências do planeta, vamos até o Reino Unido, onde Boris Johnson, primeiro-mistro britânico, se empenha para fazer valer, junto ao parlamento do país, um novo pacto firmado com a União Europeia. Amanhã, haverá votação extraordinária, e Johnson precisa de 318 votos no legislativo de 650 cadeiras para aprovar o acordo. A ratificação, se ocorrer, tende a ser por placar apertado, visto que Johnson não tem maioria no parlamento. Ademais, atenção para a participação do presidente do Banco Central Brasileiro, Roberto Campos Neto, que em Washington se encontra em eventos relacionados a reuniões do FMI e do Banco Mundial. Por aqui, o PSL, ainda partido do presidente Jair Bolsonaro, segue rachado, causando burburinho em relação a um contágio de sua crise interna refletir no apoio, ou não, à pautas economicas do governo. Com a votação da previdência marcada para a próxima semana, os mercados observam atentamente como será o andamento da PEC paralela, aquela que pretende incluir Estados e municípios nas novas regras de aposentadoria, e que pode tampar o buraco da desidratação da economia fiscal em 10 anos, ocorrida no Senado, conforme deseja a equipe econômica. Em relação a reforma tributária, fica dificil projetar a sua aprovação para esse ano, portanto, deve ficar para 2020, ano de eleições municipais em um ambiente político que costuma ser desfavorável. O BCB vendeu integralmente seu lote de dólares no mercado à vista bem como a quantidade de contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,15%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,28%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, O presidente Jair Bolsonaro afirmou que recebeu convites de vários partidos caso decida deixar o PSL, que atravessa uma crise interna entre dois grupos opostos, um ligado a Bolsonaro e outro ao presidente da sigla, o deputado federal Luciano Bivar (PE). Perguntado por jornalistas na saída do Palácio da Alvorada quantos partidos tinham feito convites, Bolsonaro disse que recebeu "vários convites". O presidente não citou nenhuma legenda especificamente na entrevista, que foi transmitida ao vivo no YouTube no canal de um apoiador de Bolsonaro.

 

Na agenda externa, O crescimento econômico da China no terceiro trimestre desacelerou mais do que o esperado e para o ritmo mais fraco em quase três décadas, conforme a guerra comercial com os Estados Unidos afeta a produção industrial. O Produto Interno Bruto (PIB) subiu apenas 6,0% na comparação com o ano anterior, marcando nova perda de força para a economia em relação ao crescimento de 6,2% no segundo trimestre. Em contrasto aos números decepcionantes do PIB, a produção industrial da China cresceu acima do esperado em setembro, a uma taxa anual de 5,8%, após mínima de 17 anos em agosto. O investimento em ativos fixos cresceu 5,4% entre janeiro e setembro, igualando as expectativas mas desacelerando sobre a taxa de 5,5% nos primeiros oito meses. As vendas no varejo subiram 7,8% no mês passado em relação ao ano anterior.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, se empenhou em persuadir parlamentares céticos a apoiarem o acordo de última hora fechado pelo Reino Unido com a União Europeia em uma votação extraordinária no Parlamento.

Os líderes da União Europeia discutirão um novo plano orçamentário que poderá permitir que o bloco gaste até 1,1 trilhão de euros no período entre 2021 e 2027, mas divisões profundas entre os governos poderiam impedir um acordo por meses. Sob uma proposta preparada pela Finlândia, que detém a presidência rotativa da UE, o próximo orçamento de longo prazo deve ter uma capacidade financeira entre 1,03% e 1,08% da Renda Nacional Bruta (RNB) do bloco, uma medida da produção. Isso permitiria à UE gastar entre 1 e 1,1 trilhão de euros por sete anos com seu primeiro orçamento após a saída do Reino Unido, um dos principais contribuintes para os cofres europeus.

O acordo comercial alcançado entre o Japão e os Estados Unidos deve impulsionar a economia japonesa em cerca de 0,8% dentro de 10 a 20 anos, quando os benefícios tiverem efeito completo, disse o governo do país nesta sexta-feira. A estimativa é de que o acordo contribua com cerca de 4 trilhões de ienes (36,81 bilhões de dólares) para o Produto Interno Bruto do Japão, com base em seu PIB fiscal de 2018, e o pacto criará cerca de 280 mil empregos no Japão, afirmou.

 

Nas Bolsas, O mercado acionário da China recuou nesta sexta-feira, registrando a queda diária mais forte em um mês para terminar a semana com perdas, depois que dados de crescimento mais fracos do que o esperado aprofundaram as preocupações com a saúde da segunda maior economia do mundo. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1,42%, enquanto o índice de Xangai teve baixa de 1,32%. Bolsas europeias em leve baixa.

 

Nos Estados Unidos, sem notícias de primeira linha na agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 17/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia
  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR   ⬇ ➖0,05%  
🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,31%  

 

Ibovespa Futuro:  +0,25%          

Dow Jones Futuro: +0,69%

 

No mercado de câmbio:

Dólar à vista abre em leve baixa mediante o fechamento da ultima quarta feira com mercado atento a indicadores no Brasil e EUA

O dólar opera com pequenas variações nesta quinta-feira (17), em dia de viés positivo nos mercados internacionais após o anúncio de que o Reino Unido alcançou um acordo para o Brexit com a União Europeia.Às 9h27, a moeda norte-americana caia 0,13%,  após abrir em leve alta.

Na véspera, o dólar fechou em queda de 0,25%, Na parcial do mês, o dólar acumula queda de 1,20%, mas no ano há alta de cerca de 7%.

 

 

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,13%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇   FUTURO: 0,31%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Outubro).

 

No âmbito interno,

 

O Brasil voltou a registrar fortes saídas de recursos na semana passada, a nona consecutiva de fluxo negativo, um dos fatores a sustentar o dólar perto de máximas históricas, acima de 4,16 reais.

Entre 7 e 11 de outubro, as saídas de moeda estrangeira superaram as entradas em 3,186 bilhões de dólares, depois de uma debandada de 4,083 bilhões de dólares na semana anterior (de 30 de setembro a 4 de outubro), conforme dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira.

No acumulado de nove semanas, o país perdeu, em termos líquidos, 17,788 bilhões de dólares.

O saldo negativo da semana passada foi ditado pela conta financeira –por onde circula dinheiro para renda fixa, ações, investimento produtivo e tomada e pagamento de dívidas, por exemplo.

Essa linha ficou deficitária em 3,646 bilhões de dólares. Na conta comercial (exportação menos importação), o fluxo ficou positivo em 461 milhões de dólares.

Um dos temas mais comentados no mercado para justificar as saídas de recursos é a dinâmica de pré-pagamento de dívida por empresas brasileiras a credores no exterior.

A queda da Selic a sucessivas mínimas recordes reduziu o custo de captação de recursos no mercado local. Com isso, muitas empresas com dívidas em moeda estrangeira decidiram antecipar pagamentos dessas obrigações para se financiarem em reais. Esse movimento gera fluxo cambial negativo, o que exerce pressão de alta para o dólar.

A antecipação de pagamento de dívida pelas empresas é reconhecida pelo Banco Central, e no fim de setembro o presidente da instituição, Roberto Campos Neto, disse que grande parte do movimento de pré-pagamento de dívida corporativa já havia sido feito.

 

Porém, o fluxo segue negativo, e o dólar continua pressionado. Nesta quarta-feira, a moeda norte-americana era cotada em alta, com o real mostrando desempenho pior que seus pares há algumas semanas.

As saídas de dólares do Brasil têm persistido em 2019, com déficit de 19,829 bilhões de dólares no acumulado do ano. No mesmo período de 2018, o fluxo estava positivo em 20,311 bilhões de dólares.

No acumulado de 12 meses, o saldo negativo alcança 32,008 bilhões de dólares, o pior número desde agosto de 1999 (-40,680 bilhões de dólares).

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou medida provisória para regulamentar a "transação tributária" e estimular soluções negociadas em dívidas junto à União. O texto foi chamado de MP do Contribuinte Legal e, segundo o governo, é alternativa mais justa do que parcelamentos especiais (Refis), que impactam sobre a arrecadação ao conceder benefícios a contribuintes com alta capacidade contributiva.O instituto da "transação tributária" já estava previsto no Art. 171 do Código Tributário Nacional. As transações tributárias envolvem duas modalidades específicas: transações na cobrança da dívida ativa e no contencioso tributário.

 

 

Na âmbito externo,

 

 

 

Os governos da União Europeia e do Reino Unido concordaram em um acordo que levaria o Reino Unido a deixar o bloco em 31 de outubro, evitando a perspectiva de um Brexit desordenado. O acordo deve ser aprovado em princípio por uma cúpula de líderes da UE que começa nesta quinta-feira.

A libra e as bolsas de valores do Reino Unido subiam, atingindo seu ponto mais alto em relação ao dólar desde maio deste ano, enquanto o FTSE 100 subia 0,6%. O euro também ganhava mais de 0,5% em relação ao dólar, atingindo US$ 1,11 pela primeira vez desde agosto.

Existe um cenário mais severo hoje, depois que o relatório mais fraco das vendas no varejo deste ano pôs em dúvida a capacidade do consumidor de sustentar uma economia atingida pelas tarifas de importação e uma ampla desaceleração da indústria.

Serão divulgados os dados de imóveis novos e de permissão de construção para setembro às 9h30 da manhã, juntamente com os números de pedidos semanais de seguro emprego. A pesquisa industrial do Fed da Filadélfia também será publicada na mesma hora.

Às 10h15 (horário de Brasília), serão publicados os números de setembro para produção industrial, manufatura e capacidade ociosa.

 

 

 

 Nas Bolsas, 

Os futuros dos EUA devem abrir acentuadamente em alta com as notícias do acordo do Brexit anunciado anteriormente, o que deve remover uma grande incerteza das perspectivas para a economia mundial se for ratificado no Parlamento do Reino Unido.

Às 7h, os contratos futuros do Dow subiam 122 pontos ou 0,5%, enquanto os futuros do S&P 500 estavam acima de 3.000, com um ganho de 0,4%, e os futuros da Nasdaq 100 também aumentavam 0,5% (impulsionado pela Netflix

O Ibovespa avançou pela sexta sessão seguida nesta quarta-feira, fato que não acontecia desde fevereiro de 2018, com o mercado doméstico descolando da cautela global em relação à guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Após ter operando no vermelho durante boa parte da sessão, o índice ganhou fôlego no final, fechando perto da máxima, a 105.422,80 pontos, com alta de 0,89%. O giro financeiro da sessão somou 31,5 bilhões de reais, em sessão que contou com o vencimento de opções sobre o Ibovespa e índice futuro.

Panorama de Mercado 16/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,20%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,15%  🗞

 

Ibovespa futuro:  +0,05%           Ásia: -0,40%

Dow Jones Futuro: -0,18%        Europa (Frankfurt): +0,30%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Como se não bastassem dúvidas que pairam sobre a fase 1 do acordo entre americanos e chineses, a câmara dos deputados norte-americanos deu uma apimentada na relação com os asiáticos ontem a noite ao aprovar leis que envolvem Hong Kong, território autônomo chinês, o que teria desagradado a China, em meio às negociações que buscam solucionar o impasse comercial entre as potências. Uma das medidas, a Lei de direitos humanos e democracia de Hong Kong, exige que o secretário de Estado americano se certifique todos os anos que Hong Kong mantém sua autonomia para continuar recebendo tratamento especial no centro financeiro. Hong Kong tem enfrentado protestos pró-democracia, tendo como motivação principal, a acusação de que Pequim tem apertado o controle sobre a ex-colônia britânica o que tem corroído seu sistema democrático. Os chineses acusam os legisladores americanos de “intenções sinistras” alertando que as relações bilaterais podem ser prejudicadas se as leis forem sancionadas. Outra situação externa que é monitorada, se refere a saída do Reino Unido da União Europeia. Entre idas e vindas, ainda não se sabe se um Brexit amigável será possível, embora o caminho para um acordo esteja sendo vislumbrado. Boris Johnson, primeiro ministro britânico promete tirar o Reino Unido da U.E em 31/10, com ou sem acordo. Vale lembrar que o parlamento inglês aprovou uma lei especificando que uma saída sem acordo é proibida, ou seja, Johnson terá que contornar esse entrave, caso as negociações sejam infrutíferas. A conferir. E vem dos Estados Unidos dado importante. O departamento de comércio disse a pouco que as vendas no varejo caíram 0,3% em setembro, a primeira queda em sete meses. Com o setor manufatureiro enfrentando dificuldades seguem os receios de que a fraqueza se espalhe para a economia em geral, por outro lado, isso mantém o Federal Reserve na rota do afrouxamento monetário. Na zona do euro, a inflação cravou 0,8% em setembro sobre o ano anterior, é o ritmo mais lento em três anos em setembro. O superávit comercial do bloco avançou para 14,7 bilhões de euros em agosto com as exportações superando as importações. Por aqui, declarações de Roberto Campos Neto, presidente do BCB dão conta de que o país deseja democratizar o setor financeiro, que o crescimento global não está favorável, e que a aversão ao risco tem inibido o investidor de alocar recursos em mercados emergentes, resumindo, o fluxo de capital tem sido aquém das expectativas. Só pra lembrar o Brasil ainda espera pela aprovação da previdência e avanço em outras reformas como a tributária enquanto trabalha para acelerar a agenda de privatizações. Em meio a esse caminho aparece o PSL, ainda partido do presidente da República, e que está em crise, após busca e apreensão realizada pela Polícia Federal que almeja encontrar provas sobre o laranjal da legenda. Como sabemos os mercados tem focado nas principais frentes, tanto externa, quanto doméstica. Do exterior, detalhes sobre o acordo parcial entre americanos e chineses, e, no Brasil, o avanço das reformas, em especial, a previdência. São temas caros, e que merecem atenção, portanto, o que os agentes não desejam é que uma espiral negativa se torne realidade, por exemplo, o desgaste no PSL respingue na votação do segundo turno da previdência no Senado, esperada para o próximo dia 22. Vamos lembrar que já houve uma desidratação na economia fiscal em 10 anos provocada pelo Congresso, e ainda não foi alinhado um acordo para aprovação da PEC paralela que incluiria Estados e municípios na reforma. A meta de potência fiscal da equipe de Paulo Guedes durante esse período, continua sendo de R$ 1 trilhão. O BCB vendeu integralmente seu lote de dólares no mercado à vista, bem como a quantidade de contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,05%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,08%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou ao Financial Times que o Brasil quer “democratizar” o setor financeiro e fomentar mais capital privado. “Precisamos nos reinventar com dinheiro privado”, disse ele ao FT em entrevista publicada nesta quarta-feira, acrescentando que os gastos públicos não são uma solução para as dificuldades enfrentadas pelo país. Falando sobre o crescimento global, Campos Neto afirmou que ele não está favorável e que as pessoas estão mostrando sinais de aversão ao risco. “Então mesmo que os juros estejam baixos e isso deveria levaria as pessoas a colocarem dinheiro em mercados emergentes, quando você olha para o fluxo ele tem sido bastante errático. Como há tensões comerciais, há polarização política, há Brexit.”

A Renova Energia, empresa de geração limpa que tem entre seus controladores a estatal mineira Cemig, entrou com pedido de recuperação judicial nesta quarta-feira, informou a companhia em comunicado. O pedido de recuperação contempla obrigações totais de 3,1 bilhões de reais.

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) registrou alta de 0,77% em outubro, depois de cair 0,29% em setembro.

 

 

Na agenda externa, A inflação na zona do euro caiu para o ritmo mais lento em mais de três anos em setembro. O recuo deve levantar novas preocupações sobre a situação da economia do bloco e pode reacender o debate dentro do Banco Central Europeu sobre como buscar seu objetivo de manter a inflação perto mas abaixo de 2% no médio prazo. A Eurostat informou que os preços nos 19 países da zona do euro subiram 0,8% em setembro sobre o ano anterior, contra estimativa anterior de 0,9%. Entretanto, o núcleo da inflação que elimina os preços voláteis de energia e alimentos não processados e é monitorado de perto pelo BCE, avançou para 1,2% em setembro de 1,1% em agosto. O superávit comercial com o resto do mundo avançou para 14,7 bilhões de euros em agosto, de 11,9 bilhões no anterior, uma vez que as importações caíram mais do que as exportações. A leitura revisada da inflação marcou uma desaceleração mais intensa do que a taxa de 1% de agosto. Foi o resultado mais fraco desde novembro de 2016.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China recuaram nesta quarta-feira, uma vez que o otimismo em torno de um acordo comercial concreto com os Estados Unidos perdeu força, com o apetite por risco também contido por novos sinais domésticos de fraqueza econômica. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,34%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,41%. A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou ontem quatro atos legislativos, adotando uma postura dura contra a China devido ao movimento pró-democracia em Hong Kong e a disputa legal em torno da gigante de telecomunicações Huawei. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, após a divulgação das vendas no varejo nesta manhã, teremos as informações do livro bege, compilado de dados econômicos do país, às 15H.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 15/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,45%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,22%  🗞.

 

Ibovespa futuro:  -0,05%           Ásia: -0,56%

Dow Jones Futuro: +0,35%       Europa (Frankfurt): +0,40%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. Com um amplo apoio dos nobres senadores da república, o projeto de lei que define a partilha dos recursos do pré-sal deve ser votado e aprovado ainda hoje, com isso, a votação do segundo turno da previdência deve ser mantido para o próximo dia 22. Falando um pouco sobre inflação, após o relatório focus do BCB projetar o IPCA a 3,28% ao final do ano, crescem as chances da Selic terminar 2019 abaixo dos 4,75%. Algumas instituições começam a rever suas projeções, abrindo a porta para que a taxa de juro brasileira encerre o ano em 4,5%, no que seriam mais dois cortes de 0,5% nas últimas reuniões, marcadas para 30/10 e 11/12. Há quem diga, os mais ousados, que esse patamar poderá até ser menor, portanto, é importante estar atento aos novos relatórios, visto que quanto mais baixo o juro, menor a chance de ingresso de fluxo de capital no país. No exterior, seguem as dúvidas a respeito dos termos do acordo comercial entre americanos e chineses, a falta de detalhes diminui o otimismo. Por falar em China, os preços ao produtor recuaram 1,2% em setembro sobre o ano anterior, alimentando a narrativa de que o BC Chinês tenha que adotar medidas de estímulos. Já os preços ao consumidor subiram 3% sobre o ano anterior, uma aceleração pontual causada pela escassez da carne suína afetada pela febre africana que atingiu o país. Essa semana ainda trará dados importantes dos asiáticos, que esclarecerão os reflexos da guerra comercial sobre o crescimento chinês, que serão digeridos pelos mercados na sexta-feira, as expectativas não são as melhores. Nesta manhã foram divulgados balanços de alguns bancos no exterior. Enquanto o J.P Morgan superou estimativas de lucro, Wells Fargo e Goldman Sachs, mostraram dificuldades. O BCB vendeu parcialmente seu lote de dólares à vista tal qual contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR INDEX:0,06 %  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,40%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, A Polícia Federal foi às ruas na manhã desta terça-feira para cumprir nove mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao presidente do PSL, Luciano Bivar, em investigação sobre suspeita de fraudes no uso de recursos do fundo partidário em candidaturas-laranjas do partido do presidente Jair Bolsonaro. A PF disse em nota oficial que a chamada Operação Guinhol investiga se representantes de um determinado partido político teriam ocultado, disfarçado e omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidário, especialmente os destinados às candidaturas de mulheres, em Pernambuco. Uma fonte da PF com conhecimento da operação disse que o partido investigado é o PSL, e que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Pernambuco expediu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Bivar. A operação ocorre no momento em que Bolsonaro trava uma disputa com o PSL, especialmente com Bivar, que pode resultar na saída do presidente do partido. Na semana passada, Bolsonaro e parlamentares do PSL insatisfeitos com Bivar requereram, por meio de advogados, informações sobre as finanças do partido.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, marcou para a próxima quinta-feia o julgamento que pode rever a decisão da corte sobre o início de cumprimento da pena após a condenação em segunda instância. Uma revisão na decisão de permitir o início do cumprimento da pena a partir da decisão em segunda instância, e não mais apenas depois do chamado trânsito em julgado, pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril de 2018 em Curitiba, após ser condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região no caso do tríplex em Guarujá (SP).

O Senado votará hoje a cessão onerosa, que define a distribuição entre Estados e municípios de parte dos recursos de um megaleilão de petróleo marcado para novembro, reafirmou o líder do governo do presidente Jair Bolsonaro na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Segundo o líder, a cessão onerosa será votada pela manhã na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado e à tarde no plenário da Casa. Bezerra disse ainda que o texto aprovado na Câmara dos Deputados tem amplo apoio entre os senadores. O líder também disse estar mantido o calendário que prevê a votação em segundo turno da reforma da Previdência pelo Senado no dia 22 deste mês.

A avaliação positiva do governo do presidente Jair Bolsonaro passou de 30% em setembro para 33% este mês, enquanto o grupo que avalia o governo de forma negativa passou de 41% para 38%, de acordo com pesquisa XP Ipespe divulgada a pouco. Com esse resultado, o percentual daqueles que consideram o governo ótimo ou bom volta ao patamar de agosto, após ter atingido o menor nível desde o início do governo em setembro. A avaliação negativa também retorna ao patamar de agosto, depois de ter alcançado um pico em setembro.

 

 

Na agenda externa, Os preços ao produtor na China recuaram no ritmo mais rápido em mais de três anos em setembro, reforçando as justificativas para que o país adote mais estímulo conforme a indústria desacelera devido à demanda fraca e às pressões comerciais dos Estados Unidos. O índice de preços ao produtor, considerado um termômetro da rentabilidade corporativa, recuou 1,2% em setembro sobre o ano anterior. Essa foi a deflação mais forte desde julho de 2016. Em contraste, os preços ao consumidor da China subiram no ritmo mais forte em quase seis anos devido principalmente ao aumento da carne suína conforme a febre suína africana afeta o país. Entretanto, as pressões do núcleo da inflação ao consumidor continuam modestas, dando às autoridades espaço para adotar medidas buscando aumentar a demanda. O índice de preços ao consumidor da China avançou 3% sobre o ano anterior, contra expectativa de 2,9% e marcando o ritmo mais forte desde outubro de 2013, quando subiu 3,2%.

O JPMorgan Chase & Co. superou as estimativas de lucro trimestral de Wall Street por uma ampla margem, sustentada pela força do comércio de títulos, subscrição e receita de empréstimos para habitação. Os relatórios trimestrais do banco são vigiados de perto quanto a sinais de saúde dos consumidores e empresas dos EUA, pois é um importante credor residencial e comercial, além de um gerente de ativos. A receita em três dos quatro principais negócios do banco aumentou. A única empresa a relatar uma queda foi o banco comercial, onde as taxas de juros mais baixas atrapalharam os resultados.

A Wells Fargo & Co registrou uma queda de 26% no lucro trimestral com a queda nas receitas de hipotecas e a possibilidade de despesas legais adicionais ligadas a um escândalo de práticas de vendas que eclodiu há mais de três anos. O banco está operando sob forte escrutínio regulatório, incluindo um teto sem precedentes em seu balanço pelo Federal Reserve, enquanto tenta recuperar sua reputação depois de revelar em 2016 que abriu potencialmente milhões de contas não autorizadas. O banco pagou bilhões de dólares em multas e multas e lançou uma campanha para reconquistar a fé de seus clientes e investidores.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China recuaram nesta terça-feira, interrompendo cinco dias de ganhos, uma vez que os dados de inflação ao produtor ampliaram as preocupações no país e que um acordo para encerrar a guerra comercial com os Estados Unidos continua longe. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,43%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,56%. Permanecem ainda as dúvidas sobre se a China e os Estados Unidos podem chegar a um acordo durável para encerrar a guerra comercial que já dura mais de um ano. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Declarações de membros do FED e balanços de bancos formam a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 14/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,23%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,20%  🗞.

 

Ibovespa futuro:  -0,20%           Ásia: +1,15%

Dow Jones Futuro: -0,15%        Europa (Frankfurt): -0,50%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. Em dia de liquidez reduzida devido ao feriado nos Estados Unidos, os investidores buscam detalhes da fase 1 referente ao acordo parcial entre americanos e chineses alinhado na última sexta-feira. O presidente Donald Trump decidiu suspender tarifas que seriam implementadas essa semana sobre USD 250 bilhões em produtos chineses, enquanto as partes se debruçam na redação do documento que selará o acordo parcial, em um prazo de aproximadamente cinco semanas. Até lá, um misto de otimismo e cautela se misturam. Em meio a essa batalha que já dura mais de 1 ano, os agentes foram surpreendidos por idas e vindas na retórica comercial, o que torna parte dos mercados reticentes enquanto não observarem a finalização e detalhes que envolvem a disputa. A Bloomberg diz inclusive que a China quer mais negociações até o final de outubro para definir os pormenores desta primeira fase, observando além disso que os chineses devem insistir para que Trump desista de um aumento planejado de tarifas para dezembro, como condicional para finalizar o acordo. E por falar nos asiáticos, queda nas exportações e importações chinesas em setembro. As exportações recuaram 3,2% sobre o ano anterior, e as importações 8,5%, menor nível desde maio. Já na zona do euro, produção industrial em agosto subiu 0,4%, ante queda na mesma proporção em julho. Por aqui, amanhã o Senado vota o projeto que trata a partilha da cessão onerosa, eliminando uma das condicionais para a votação do segundo turno da previdência previsto para acontecer no próximo dia 22. Com uma comitiva de parlamentares na Itália em cerimônia de canonização da irmã Dulce, temas como por exemplo, a reforma tributária, dificilmente terá chance de ser aprovado ainda esse ano, e se pensarmos que em 2020 teremos eleições, a dificuldade pode aumentar. Paralelamente a equipe econômica segue buscando acelerar a agenda de privatizações como forma de amenizar os solavancos econômicos causados pela morosidade do Congresso. No mais, vale atenção durante a semana, no exterior, onde a partir de quarta-feira temos preços ao consumidor e balança comercial na zona do euro, vendas no varejo nos Estados Unidos, sendo seguidos por dados dos setor imobiliário e de produção industrial, ambos nos Estados Unidos na quinta-feira, e, com a China trazendo na quinta a noite, informações sobre o PIB, produção industrial, e vendas no varejo. Hoje a noite os chineses informam a inflação ao consumidor. A sexta reserva indicadores antecedentes americanos e discurso de Richard Clarida, vice-presidente do FED, que pode tecer comentários a respeito de política monetária. O BCB, através do boletim Focus, trouxe as seguites estimativas para o final de 2019: IPCA: 3,28%, PIB: 0,87%, USD: 4,00, SELIC: 4,75%, PROD.INDL.: -0,65%, INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 81,85 Bilhões e BALANÇA COML.: USD 50,43 Bilhões. Nesta manhã a instituição vendeu parcialmente dólares no mercado  à vista, e contratos de swaps reversos. Também de manhã foi divulgado o índice de atividade econômica do Banco Central do Brasil (IBC-Br) uma espécie de sinalizador do produto interno bruto (PIB), subindo 0,07% em agosto, indicando que sinais de recuperação na atividade podem se confirmar ao final de 2019.  

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR INDEX: 0,20%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,45%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, O índice de atividade econômica do Banco Central do Brasil (IBC-Br) uma espécie de sinalizador do produto interno bruto (PIB), aumentou 0,07% em agosto, indicando que sinais de recuperação na atividade podem se confirmar ao final de 2019.  

Amanhã o Senado vota o projeto que trata a partilha da cessão onerosa, eliminando uma das condicionais para a votação do segundo turno da previdência previsto para acontecer no próximo dia 22. Com uma comitiva de parlamentares na Itália em cerimônia de canonização da irmã Dulce, temas como por exemplo, a reforma tributária, dificilmente terá chance de ser aprovado ainda esse ano, e se pensarmos que em 2020 teremos eleições, a dificuldade pode aumentar. Paralelamente a equipe econômica segue buscando acelerar a agenda de privatizações.

 

 

Na agenda externa, A China quer mais negociações já no final de outubro para definir os detalhes da “fase um” do acordo comercial esboçado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, antes que o presidente chinês Xi Jinping concorde em assiná-lo, informou a Bloomberg. Pequim pode enviar uma delegação liderada pelo vice-premiê Liu He para finalizar um acordo escrito que poderia ser assinado pelos dois líderes na cúpula da Cooperação Ásia-Pacífico no próximo mês no Chile. A China quer que Trump também descarte um aumento planejado de tarifas em dezembro além da alta marcada para esta semana, conforme a reportagem.

A queda nas exportações da China se intensificou em setembro enquanto as importações contraíram pelo quinto mês seguido, indicando mais fraqueza na economia e destacando a necessidade de mais estímulo em meio à guerra comercial com os Estados Unidos. As exportações em setembro caíram 3,2% sobre o ano anterior, maior queda desde fevereiro, mostraram dados da alfândega. As importações totais em setembro caíram 8,5% após queda de 5,6% em agosto, menor nível desde maio.

O vice-presidente do Banco Central Europeu, Luis de Guindos, disse que não prevê a entrada da zona do euro em recessão, mas estima que o bloco terá menor crescimento econômico por um período mais longo. No mês passado, o BCE cortou as taxas de juros a território ainda mais negativo e prometeu a compra de títulos por tempo indefinido, numa tentativa de reverter a desaceleração renovada da economia da zona do euro, quase uma década após a crise da dívida do bloco. De Guindos disse que as últimas notícias sobre as negociações comerciais entre Estados Unidos e China foram positivas. No entanto, ele afirmou que a rentabilidade e valorizações baixas entre os bancos da zona do euro estão entre as principais vulnerabilidades, dificultando uma consolidação inevitável no setor.

É improvável que a economia alemã caia em uma recessão prolongada, mesmo que esteja definhando em um ciclo de crescimento fraco. A economia alemã deve ter leve contração no terceiro trimestre, como ocorreu no período de abril a junho, à medida que as exportações enfraquecem devido às incertezas ligadas à saída planejada do Reino Unido da União Europeia, bem como aos conflitos comerciais. A recessão técnica esperada no terceiro trimestre ocorrerá após nove anos sucessivos de crescimento, alimentados por um 'boom' de exportações – principalmente para a China – e, mais recentemente, por um ciclo impulsionado pelo consumo e sustentado por baixas taxas de juros na zona do euro, de acordo com o ministério da economia do país.

 

Nas Bolsas, Os principais índices acionários da China subiram mais de 1% nesta segunda-feira, liderados pelas ações de tecnologia e do setor financeiro, com os investidores comemorando sinais de avanço nas negociações comerciais com os Estados Unidos. Ainda assim, prevaleciam dúvidas sobre um acordo durável entre as duas potências econômicas, e a saúde econômica da China limitou os ganhos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,06%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,15%. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, Feriado.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 11/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,25%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,60%  🗞.

 

Ibovespa futuro:  +0,65%           Ásia: +0,88%

Dow Jones Futuro: +0,90%        Europa (Frankfurt): 2%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. A semana encerra com expectativas sobre um acordo, mesmo que parcial, entre Estados Unidos e China, no que poderia ao menos retardar uma eventual elevação tarifária sobre USD 250 bilhões em produtos chineses, esperados para a próxima semana. Segundo Donald Trump, o primeiro dia de reuniões terminou “muito bem”. O presidente americano se reunirá com o vice-premiê Liu He, principal negociador comercial da China ainda hoje. Nesta manhã os americanos divulgaram que os preços das importações subiram modestamente em setembro, porém as expectativas eram de que ficariam inalterados. A alta foi de 0,2%, e os números de agosto foram revisados para mostrar declínio de 0,2%, ante queda de 0,5% relatado anteriormente. A probabilidade de redução no juro americano, indo à faixa entre 1,5% a 1,75% na reunião de 30/10 foi à 68%, ontem estava em 80%. A leitura preliminar sobre a confiança do consumidor americano medida pela Universidade de Michigan, sai às 11H. Na zona do euro, Mário Draghi, presidente do BCE, diz que em conjunto as coisas podem ficar mais fáceis, ao afirmar que os governos do bloco podem ajudar o BCE se adotarem uma “política fiscal mais ativa” esclarecendo que não só de políticas monetárias são os efeitos capazes de alavancar a inflação para a meta projetada. Sobre o Brexit, os principais negociadores do Reino Unido e da União Europeia fizeram uma reunião “construtiva” hoje, e se esforçam para fechar um acordo visando a separação britânica do bloco. Por aqui, Roberto Campos Neto, presidente do BCB, participa de painel sobre democratização do sistema financeiro. Durante essa semana muito se falou sobre o projeto de Lei enviado ao Congresso Nacional que definirá as novas regras que modernizarão o câmbio, simplificando as operações, reduzindo inseguranças jurídicas, e tornando o ambiente de negócios mais eficiente e seguro. De modo geral as mudanças propostas visam implementar regras mais alinhadas com as práticas internacionais, mas isso, será pauta para outra oportunidade. A instituição vendeu integralmente seu lote de USD 525 milhões no mercado à vista bem como os contratos de swaps reversos. Finalizando, o volume do setor de serviços do Brasil caiu 0,2% em relação a julho e teve queda de 1,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,40%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,15%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que apoia os esforços do Brasil para entrar na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), embora defenda primeiro a entrada da Argentina. Após o mal-estar causado pela notícia da carta norte-americana à OCDE, no início da noite de quinta-feira o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, reafirmou o apoio à aspiração brasileira. Bolsonaro também afirmou que não houve mudança de posição dos EUA em relação ao apoio da entrada do Brasil na organização, apenas que outros países estão antes na fila. Trump afirmou no Twitter em um comunicado conjunto que ele divulgou com o presidente Jair Bolsonaro dizendo "deixar absolutamente claro que apoio que o Brasil inicie o processo para entrada na OCDE".

O volume do setor de serviços do Brasil caiu 0,2 por cento em relação a julho e teve queda de 1,4 por cento na comparação com o mesmo mês do ano anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

 

Na agenda externa, Um jornal estatal chinês afirmou que um acordo comercial “parcial” vai beneficiar a China e os Estados Unidos, e que os EUA deveriam aceitar a oferta na mesa, refletindo o objetivo chinês de aliviar a disputa antes que mais tarifas norte-americanas entrem em vigor. Ambos os lados adotaram tarifas sobre centenas de bilhões de dólares em produtos durante os 15 meses da disputa comercial, que abalou mercados financeiros e afetou as cadeias de oferta com as empresas alterando os locais de produção.

Os governos da zona do euro podem ajudar o Banco Central Europeu a elevar as taxas de juros mais cedo se abrirem suas próprias carteiras para sustentar a economia, disse o presidente do BCE, Mario Draghi. “Uma política fiscal mais ativa na zona do euro tornaria possível ajustar nossas políticas mais rapidamente, que estamos cientes de ter efeitos adversos em certos setores da sociedade e em certos intermediários”, disse Draghi em um evento em Milão.

 

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China subiram nesta sexta-feira para encerrar uma semana de quatro dias com ganhos, com os investidores comemorando sinais de avanços nas negociações comerciais com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,96%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,88%. Negociadores dos EUA e da China encerraram um primeiro dia de discussões comerciais em mais de dois meses na quinta-feira, com grupos empresariais demonstrando otimismo de que os dois lados possam aliviar o conflito e adiar o aumento de tarifas dos EUA marcado para a próxima semana. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Leitura preliminar da confiança do consumidor às 11H encerra a agenda, em meio a discursos de membros do FOMC.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 10/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,45%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,95%  🗞

 

Ibovespa futuro:  +0,10%           Ásia: +0,78%

Dow Jones Futuro: -0,12%        Europa (Frankfurt): +0,05%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. As vendas do comércio varejista cresceram 0,1% em agosto, na comparação com o mês anterior, mesmo que de forma lenta e gradual, os indicadores econômicos mostram que o ano pode se encerrar com a geração de mais empregos e melhora da confiança empresarial. Quem poderia acelerar o quadro, e ajudar na recuperação seria o Congresso Nacional, que ainda não terminou a votação do segundo turno da previdência. Sobre o assunto, alguns destravamentos para que a votação  aconteça no próximo dia 22 no Senado foram concluídos ontem na Câmara dos Deputados. A Casa aprovou o projeto de Lei que trata da divisão entre Estados e municípios dos recursos advindos do megaleilão do pré-sal bem como a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020. Começa hoje também a temporada de leilões de petróleo no país com a oferta de 36 áreas exploratórias nas bacias de Campos e Santos sob o regime de concessão com expectativa de arrecadação em torno de R$ 3,2 bilhões. No exterior, inicia-se hoje as negociações de alto escalão entre americanos e chineses. No cardápio, desde a construção de um pacto parcial, passando por avaliações de um acordo cambial que poderia levar à suspensão de um aumento tarifário planejado para a próxima semana à produtos chineses, assuntos relacionados à propriedade intelectual e transferência de tecnologia, tem como reflexo especulações variadas, resumindo, a sensibilidade dos mercados continua alta, o que torna o ambiente de negócios volátil a espera do resultado das conversas. Na agenda americana, a pouco sairam dados sobre a inflação ao consumidor em setembro, inalterados, porém o núcleo, ou inflação subjacente, desacelerou, no que pode ser fator preponderante à que o Federal Reserve afrouxe sua política monetária em 30/10. Atualmente essa probabilidade está na casa dos 80%. O número de norte-americanos que pediram auxílio desemprego na semana passada, cairam, mostrando a força do mercado de trabalho.  E o BCE, trouxe à luz, as considerações a respeito de sua última decisão de política monetária. As novas compras de ativos, que começam em 1º de novembro, e uma taxa de depósito escalonada, foram objeto de discordâncias na reunião, mesmo com as autoridades convergindo sobbre a necessidade de mais estímulos. O BCB vendeu integralmente seu lote de USD 525 milhões à vista e o lote de contratos de swaps cambiais reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,30%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,20%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Novembro).

 

Na agenda interna, A Câmara dos Deputados aprovou ontem o projeto de lei que estabelece as regras de divisão entre Estados e municípios dos recursos oriundos do megaleilão de petróleo do pré-sal de 6 de novembro, e encaminhou a matéria para o Senado.  O dinheiro a ser repartido é uma parte do chamado bônus de assinatura, que totaliza 106,6 bilhões de reais. Outra aprovação, foi a da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020.

As vendas do comércio varejista cresceram 0,1% em agosto, na comparação com o mês anterior, mesmo que de forma lenta e gradual, os indicadores econômicos mostram que o ano pode se encerrar com a geração de mais empregos e melhora da confiança empresarial. Quem poderia acelerar o quadro, e ajudar na recuperação seria o Congresso Nacional, que ainda não terminou a votação do segundo turno da previdência.

 

 

Na agenda externa, O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, ignorou os conselhos do comitê de política monetária do banco para não retomar as compras de títulos, informou o Financial Times, esclarecendo ainda mais a divisão em relação à medida. O BCE prometeu compras de títulos por tempo indefinido em setembro, mesmo que mais de um terço do Conselho do BCE tenha se oposto à medida, um nível incomumente alto de dissidência para uma entidade que normalmente luta por consenso. O comitê de política monetária – formado principalmente por tecnocratas dos 19 bancos centrais da zona do euro – enviou uma carta a Draghi e outros membros do Conselho do BCE vários dias antes da reunião, advertindo contra novas compras de ativos, citaram três membros do Conselho segundo o FT. Embora o conselho do comitê não seja obrigatório, houve apenas algumas ocasiões durante os oito anos de mandato de Draghi em que o Conselho do BCE foi contra o comitê, acrescentou o Financial Times. Um porta-voz do BCE se recusou a comentar. O BCE começará as compras de títulos, em 20 bilhões de euros por mês, em 1º de novembro.

As novas compras de ativos e uma taxa de depósito escalonada geraram uma grande oposição na reunião de política monetária do Banco Central Europeu em setembro, mesmo que todas as autoridades concordando com a necessidade de mais estímulo, mostrou a ata do encontro do BCE.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, disse nesta quinta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não tentou chantageá-lo durante uma conversa telefônica em julho ou um encontro em setembro.

 

Nas Bolsas, O mercado acionário da China atingiu uma máxima de duas semanas nesta quinta-feira com investidores esperando um acordo comercial parcial com os Estados Unidos, mas notícia afirmando que as autoridades chinesas querem encurtar sua visita aos EUA limitou os ganhos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,82%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,78%, chegando ao nívelmais alto desde 26 de setembro.

 

Nos Estados Unidos, Falando a repórteres em Washington ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou: "Se pudermos fechar um acordo, vamos fazer um acordo, há uma chance realmente boa"."Na minha opinião, a China quer fechar um acordo mais do que eu". Começam hoje as negociações do alto escalão entre as duas maiores potências do planeta. Uma notícia de que os Estados Unidos estão avaliando um pacto cambial com a China que pode levar à suspensão de um aumento tarifário planejado para a próxima semana alimenta uma recuperação dos ativos de risco, embora as negociações tendam a ser sensíveis.

 

Fonte: Reuters.