Panorama de Mercado 19/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,30%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,27%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: -0,27%                          Ásia: +0,85%

Dow Jones Futuro: +0,14%                      Europa (Frankfurt): +0,90%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Atento à participação do presidente do BCB, Roberto Campos Neto, nesta manhã em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, os mercados seguem operando observando variáveis que tem dado uma dinâmica de pressão sobre o Real antes do feriado. O mês de novembro até o momento trouxe a insatisfação com o resultado dos leilões do pré-sal, além de estarmos chegando à época sazonal de maior procura pela moeda, e nesse sentido as remessas a título de lucros e dividendos tem sua importância, isso sem mencionar que amanhã é feriado o que sempre faz com que o investidor adote uma postura mais cautelosa nos negócios. Paralelamente o fluxo cambial não tem sido dos melhores, o investidor estrangeiro que ensaiava um retorno gradual aos mercados de risco pisou no freio enquanto não vê a finalização da fase um do acordo comercial entre americanos e chineses. A Selic, cada vez mais baixa e projetada para terminar o ano em 4,5%, é outro fator que afugenta fluxos pontuais, visto que a atratividade das operações (carry-trade) diminuiu. O STF contribuiu ao analisar procedente a soltura de condenados em segunda instância, entre eles o ex-presidente Lula, diretamente interessado em piorar o cenário para as reformas econômicas, reformas essas que sinalizam avanços em ritmo lento, e só para lembrar, ano que vem teremos eleições, aumentando o risco político e as incertezas à conjuntura. Por exemplo, a reforma administrativa que propõe alteração à dinâmica do “funcionalismo”, como o fim da estabilidade aos novos contratados poderia desencadear descontentamentos. Sobre a reforma tributária que a equipe econômica disse ontem que pretende enviar fatiada em quatro fases, Rodrigo Maia, presidente da Câmara disse que já falou “mil vezes” que esse proposição em relação a primeira fase, não resolve o problema, em outras palavras, não passa na Câmara. É preciso entender “tecnicamente” o que está entre a linha da solução e dos votos. Segundo Maia, outra proposta mais abrangente que está na Câmara seria a ideal. Por outro lado, o ambiente é de inflação controlada e como relatamos, de juros em queda, mas, dólar acima de 4,20 no giro interbancário em acelerando a alta não é algo que o BCB tende a tolerar, afinal o impacto que o câmbio pode trazer à inflação e expectativas devem ser consideradas, e claro no contexto geral, se é algum movimento doméstico pontual ou se o fator externo segue no mesmo ritmo. Vale ressaltar que a economia brasileira tem dado sinais de recuperação. Nos Estados Unidos, dados do setor imobiliário mostraram recuperação em outubro, e o presidente do Banco Central chinês disse que o país vai intensificar o suporte de crédito à economia e pressionar para baixo as taxas de empréstimo reais.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆   INDEX: 0,01%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,40%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, Os preços no atacado recuaram e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) passou a cair 0,01% na segunda prévia de novembro, sobre alta de 0,85% no mesmo período do mês anterior. A Fundação Getulio Vargas informou que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, abandonou a alta de 1,29% para passar a cair 0,06% em novembro.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, voltou atrás e revogou sua decisão que lhe dava acesso a todos os relatórios elaborados pela Unidade de Inteligência Financeira (UIF) do Banco Central, órgão que sucedeu o antigo Coaf, nos últimos três anos, mostrou decisão do ministro. Ontem, Toffoli se reuniu com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, com o advogado-geral da União, André Mendonça, e com o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o tema do encontro foi o julgamento marcado para quarta-feira na corte sobre o uso de relatórios de inteligência financeira sem autorização judicial. “Diante das informações satisfatoriamente prestadas pela UIF, em atendimento ao pedido dessa Corte, em 15/11/19, torno sem efeito a decisão na parte em que foram solicitadas, em 25/10/19 cópia dos Relatórios de Inteligência Financeira (RIFs), expedidos nos últimos três anos”, escreveu o presidente do Supremo. “Ressalto que esta corte não realizou o cadastro necessário e jamais acessou os relatórios de inteligência.” O julgamento de quarta deverá ter implicações sobre as investigações, dentre outros, do senador Flávio Bolsonaro.

 

 

Na agenda externa, A China vai intensificar o suporte de crédito à economia e pressionar para baixo as taxas de empréstimo reais, afirmou o presidente do banco central, Yi Gang, acrescentando que as autoridades irão promover a reposição de capital e ampliar a capacidade dos bancos de aumentar o empréstimo. Os bancos devem usar como referência a Taxa Primária de Empréstimo (LPR) quando se trata de crédito, disse Yi em reunião com representantes de bancos comerciais, incluindo Industrial and Commercial Bank of China, Agricultural Bank of China e China Construction Bank.

 

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China registraram nesta terça-feira a maior alta em duas semanas, uma vez que o corte na taxa de financiamento interbancária na véspera ampliou as expectativas de mais estímulo do governo. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1,0%, enquanto o índice de Xangai terminou com alta de 0,85%. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, Dados do setor imobiliário e discurso de membro do Federal Reserve, ambos na parte da manhã compõem a agenda do dia.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 18/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,30%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,27%  🗞

 

Ibovespa futuro: +0,70%                          Ásia: +0,62%

Dow Jones Futuro: +0,22%                      Europa (Frankfurt): -0,07%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Semana começa com a divulgação do boletim Focus do Banco Central Brasileiro trazendo as seguintes estimativas para o final de 2019. IPCA: 3,33%, PIB: 0,92%, USD 4,00, SELIC: 4,50%, PROD. INDL.: -0,68%, INVESTIMENTOS DIRETOS NO PAÍS: USD 80 Bilhões, BALANÇA COML.: USD 46,40 Bilhões. Após o IBC-BR, espécie de sinalizador do PIB indicar que a atividade econômica brasileira teve em setembro seu melhor desempenho em quatro meses, provavelmente veremos nas próximas medições do Focus uma melhora na estimativa do PIB para o final deste ano. Sobre a Selic, enormes chances de redução em 0,5%, a levando para 4,50% também no encerramento de 2019 na reunião de 12/12. Já o dólar que na última semana passou por picos de estresse motivado por incertezas em relação à conclusão da fase 1 do acordo entre americanos e chineses e decisão do STF contra a prisão em segunda instância que não contribuiu em nada para arrefecer ânimos, começa a semana com alguns motivos para se acalmar. O planalto deve encaminhar ao Congresso projeto de Lei que acelera privatizações ao mesmo tempo que a PEC paralela, aquela que inclui Estados e municípios na reforma da previdência avança. Outra PEC que entra na pauta, na CCJ do Senado, é a da própria prisão em segunda instância, mas sobre essa o que não faltam são dúvidas, afinal, relatos de descontentamento de parlamentares do centrão podem atrapalhar. Vale lembrar que quarta-feira será feriado no Brasil, o que pode diminuir a liquidez amanhã, com o aumento da cautela enquanto a semana não volta ao normal. No mais, a China colocou à disposição do governo brasileiro mais de USD 100 bilhões destinados à investimentos no país, sobretudo em projetos de infraestrutura. Ao longo de cinco anos haverá parceria entre os países na elaboração de projetos. Pelo visto a visita do presidente Jair Bolsonaro ocorrida tempos atrás, melhorou a relação. No exterior são esperados vários discursos de membros dos Bancos Centrais americano e europeu. Sobre a conclusão da fase um da negociação comercial entre americanos e chineses as notícias são animadoras e passam a impressão de que a finalização do acordo está próximo. Os mercados esperam que o mês de novembro possa trazer essa confirmação. Entre os eventos em destaque, temos a ata do FED na quarta-feira que deve sinalizar que o ciclo de cortes no juro em 2019 terminou nos Estados Unidos, e a do BCE na quinta, provavelmente indicando que os europeus devem manter inalterada a política monetária por lá no encerramento deste ano. No Reino Unido, o partido de Boris Johnson, premiê britânico, segue em vantagem segundo pesquisas de intenção de votos em relação as eleições que acontecerão em 12/12. Segundo a agência Survation são 14 pontos de frente sobre o partido trabalhista de oposição. O banco central da China cortou inesperadamente uma importante taxa de empréstimo nesta segunda-feira sinalizando estar pronto para sustentar o crescimento do país enquanto enfrentam as dificuldades que as tensões comerciais impõem. O BCB vendeu parcialmente tanto seu lote de dólares no mercado a vista, tal qual contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,09%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,45%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, A atividade econômica brasileira teve em setembro a segunda alta mensal consecutiva e o melhor desempenho em quatro meses, fechando o trimestre com o resultado mais forte em um ano. O IBC-Br –que tem como objetivo mensurar a evolução contemporânea da atividade econômica do país subiu 0,44% em setembro sobre agosto. No terceiro trimestre sobre o anterior, a alta foi de 0,91%, de acordo com dados dessazonalizados. O dado foi divulgado na última quinta-feira.

A China colocou à disposição do governo brasileiro mais de USD 100 bilhões destinados à investimentos no país, sobretudo em projetos de infraestrutura. Ao longo de cinco anos haverá parceria entre os países na elaboração de projetos. Pelo visto a visita do presidente Jair Bolsonaro ocorrida tempos atrás, melhorou a relação.

O Ministério da Economia fechou um novo pacote de medidas para mudar o sistema tributário do Brasil e deve enviar a reforma ao Congresso em quatro etapas, que devem se estender até meados de 2020, informou o jornal o Estado de S. Paulo. O governo reformulou sua proposta, abandonando a ideia de criar uma nova CPMF, de acordo com o jornal. Na primeira fase, ainda em novembro, o governo deverá enviar um projeto de lei que unifica o PIS e a Cofins (Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social). A segunda fase, prevista para o início do próximo ano, segundo o Estadão, prevê o encaminhamento da mudança no IPI, enquanto a terceira fase vai se concentrar no Imposto de Renda de pessoas físicas. A última etapa envolverá desoneração da folha de salários das empresas.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, negou pedido feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para revogar a decisão que determinou o envio à corte de relatórios elaborados pelo antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), atual Unidade de Inteligência Financeira do Banco Central, informou a Procuradoria-Geral da República.Toffoli havia determinado que o BC enviasse à corte todos os Relatórios de Inteligência Financeira (RIF) e das Representações Fiscais para Fins Penais (RFFP) realizados nos últimos três anos, medida considerada por Aras como "demasiadamente interventiva" e que pode colocar em risco informações privadas de mais de 600 mil pessoas, de acordo com nota divulgada pela PGR. Ao rejeitar o pedido de Aras, Toffoli argumentou que os acessos aos RIFs dependem de cadastro prévio de autoridade competente e que o STF não realizou tal cadastro. Disse ainda que o processo corre sob segredo de justiça, o que afasta, de acordo com ele, a ideia de uma medida invasiva por parte da corte.

 

 

Na agenda externa, O Partido Conservador, do premiê Boris Johnson, tem 14 pontos de vantagem sobre o Partido Trabalhista, da oposição, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo programa Good Morning Britain nesta segunda-feira, antes das eleições previstas para 12 de dezembro. Realizada pela agência Survation, a pesquisa indicou o apoio aos conservadores em torno de 42%, contra 28% dos trabalhistas.

O crescimento na Alemanha, a maior economia da Europa, permanecerá fraco no quarto trimestre, mas não existem motivos para temer uma recessão e há sinais de que as perspectivas para seu vasto setor industrial podem estar se estabilizando, disse o banco central alemão. A Alemanha escapou de uma recessão no trimestre passado com uma expansão trimestral de 0,1%, melhor do que o projetado, mas o número provavelmente indicou estabilização e não uma recuperação, uma vez que os setores focados na exportação continuam sofrendo."A desaceleração da economia alemã provavelmente continuará no quarto trimestre de 2019", disse o Bundesbank em relatório econômico mensal. "No entanto, não é provável que se intensifique acentuadamente. Como as coisas estão atualmente, a produção econômica geral pode mais ou menos estagnar".Uma guerra comercial global, a desaceleração da China e a mudança nos hábitos do consumidor empurraram a indústria alemã para a recessão, mas a economia doméstica permaneceu inesperadamente resiliente.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) disse que o crescimento do comércio global de mercadorias deve permanecer “abaixo da tendência” no quarto trimestre, em meio a tensões e tarifas crescentes em setores importantes. Seu último indicador trimestral mostrou que o crescimento do comércio global de mercadorias aumentou 0,2% no segundo trimestre deste ano, contra alta de 3,5% no mesmo período de 2018.

 

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China fecharam em alta nesta segunda-feira, em meio à expectativa dos investidores de mais medidas de estímulo para sutentar a economia após corte da taxa de empréstimo interbancária. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,8%, enquanto o índice de Xangai terminou com alta de 0,62%. O banco central da China cortou inesperadamente uma importante taxa de empréstimo nesta segunda-feira, primeira redução em mais de quatro anos e um sinal aos mercados de que as autoridades estão prontas para agir para sustentar o crescimento. Bolsas europeias em leve baixa.

 

 

Nos Estados Unidos, O governo Trump deve emitir nesta segunda-feira uma extensão de 90 dias da licença que permite que empresas norte-americanas continuem negociando com a Huawei, disseram duas fontes familiarizadas com o assunto.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 08/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,60%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,45%  🗞.

 

Ibovespa futuro: -0,60%          Ásia: -0,49%

Dow Jones Futuro: +0,03%     Europa (Frankfurt): -0,29%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. Em uma semana que tinha tudo para terminar com os mercados reagindo positivamente, sobretudo pela participação estrangeira em relação ao megaleilão do pré-sal, uma palavra pode definir o sentimento antes do final de semana, decepção. O desinteresse das grandes empresas estrangeiras ao setor de petróleo nacional lançou dúvidas em relação a volta do capital externo ao país, que ainda ocorre de forma tímida, e deve recuperar atratividade gradualmente, assim como a economia brasileira. O modelo de leilões precisa ser reavaliado. A cautela do investidor tende a ser maior considerando ainda que a próxima semana reserva um feriado nos Estados Unidos na segunda-feira e no Brasil na sexta, portanto, poderemos observar liquidez reduzida. Ademais segue o monitoramento em relação às negociações entre americanos e chineses. As últimas informações sugerem que a Casa Branca não estaria disposta à revogação de tarifas sobre produtos asiáticos, levantando dúvidas sobre o término da primeira fase do acordo comercial que os mercados esperam para esse mês. Por falar em China, suas exportações em outubro caíram pelo terceiro mês seguido, e as importações diminuíram pelo sexto mês consecutivo, todavia a contração foi menor que a esperada. Na agenda americana, sai a leitura preliminar da confiança do consumidor referente ao mês de novembro às 12h. Sobre o STF e sua decisão contrária à prisão em segunda instância, liberando milhares de presos e condenados, apenas serve de combustível para a insatisfação de diversos setores da sociedade, podendo acirrar ânimos inclusive no meio jurídico, elevando a insegurança jurídica, afinal a apenas três anos atrás a decisão da corte foi diferente a de ontem. Para o investidor, melhor é aguardar o que vem pela frente antes de se arriscar.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,14%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,70%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a possibilidade de iniciar a execução da pena de prisão após condenação em segunda instância, na maior derrota que a corte impôs à operação Lava Jato nos seus cinco anos e que deve levar à liberdade o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Coube ao presidente do STF, Dias Toffoli, o voto de desempate, ao se posicionar a favor da execução da pena somente após esgotados todos os recursos cabíveis, o chamado trânsito em julgado.

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) registrou queda em outubro, a seu menor nível desde maio deste ano, sinalizando a dificuldade de recuperação do mercado de trabalho. O IAEmp, que antecipa os rumos do mercado caiu 1,3 ponto em relação a setembro, chegando a 85,8 pontos. O indicador ficou abaixo da média histórica do período iniciado em junho de 2008, de 86,9 pontos, disse a FGV. A taxa de desemprego do Brasil fechou o terceiro trimestre em 11,8% com aumento no número de pessoas ocupadas, porém em um mercado de trabalho marcado por novo recorde da informalidade.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, se disse "apavorado" com o fato de o leilão do excedente da cessão onerosa não ter atraído as grandes empresas do setor de petróleo e responsabilizou o regime de partilha pelo resultado do certame, em que apenas dois dos quatro blocos ofertados receberam ofertas, da Petrobras e de estatais chinesas. "Tivemos uma dificuldade enorme para, no final, nós vendermos para nós. Ficamos cinco anos conversando a respeito, fizemos um trabalho espetacular, aprofundando, examinando. Chegou ao final, deu 'no show'", disse o ministro durante evento no Tribunal de Contas da União. Guedes apontou a contradição de um leilão promovido por uma equipe econômica liberal ter como resultado final o fortalecimento da estatal Petrobras. "Sumiu todo mundo da sala, só ficou ela lá". Para Guedes, o saldo do leilão foi resultado do regime de partilha, que disse considerar "ruim". "Será que a concessão, que é usada no mundo inteiro, não é melhor que a partilha, que é usada por influência de alguns operadores petroleiros franceses em regimes corruptos na África?", questionou. No regime de partilha, adotado pelo país nas áreas do pré-sal, vence a licitação para exploração de blocos de petróleo o consórcio que oferecer a maior parcela de lucro futuro à União. A Petrobras tem o direito de preferência para atuar como operadora dos blocos. Nas concessões, adotadas fora das áreas do pré-sal, vence o consórcio que oferecer ao governo o maior valor pelo direito de exploração (bônus de assinatura), e não há comportilhamento da produção em caso de descoberta de petróleo ou gás. "Não existe leilão vazio em concessão. Se o negócio tá na mão, você está na mesa, uma porção de gente vem", disse Guedes, acrescentando que, quando o país migrar para o modelo de concessão, "vão ter 17, 18 caras querendo comprar".

 

Na agenda externa, Após altas expectativas sobre o acordo comercial diante de declarações de autoridades dos EUA e da China afirmando que os dois países irão reverter as tarifas sobre os produtos um do outro, notícia da Reuters sugerindo que autoridades da Casa Branca se opõem à revogação de tarifas sobre Pequim levantaram incertezas sobre a primeira fase de um acordo comercial.

As exportações e importações da China contraíram menos do que o esperado em outubro, fornecendo algum alívio para a economia. As exportações da China em outubro caíram pelo terceiro mês seguido, com um recuo de 0,9% sobre o ano anterior. Já as importações diminuíram pelo sexto mês consecutivo, em queda de 6,4%, recuo menor que esperado.

A Alemanha não está perto de uma recessão real, mas está passando por um período de crescimento mais lento, disse o ministro das Finanças, Olaf Scholz, em entrevista à Euronews, acrescentando que a resolução das tensões comerciais, "criadas pelo homem", ajudaria a impulsionar a economia. Questionado sobre as solicitações feitas por alguns economistas e políticos para que a Alemanha gaste para revitalizar uma economia em declínio, Scholz disse que, com empregos em níveis recordes e alguns setores enfrentando restrições de capacidade, não há motivos para gastos extras com estímulos.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China reverteram os ganhos e fecharam em baixa nesta sexta-feira, após uma notícia da Reuters sugerindo que autoridades da Casa Branca se opõem à revogação de tarifas sobre Pequim levantar incertezas sobre a primeira fase de um acordo comercial. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,47%, enquanto o índice de Xangai terminou com baixa de 0,49. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, sai a leitura preliminar da confiança do consumidor referente ao mês de novembro às 12h.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 07/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,20%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,15%  🗞.

 

Ibovespa: +0,60%          Ásia: +0,18%

Dow Jones Futuro: +0,80%     Europa (Frankfurt): +0,70%.

 

No mercado de câmbio: Dólar operando em alta nesta manhã. Os mercados se frustraram amplamente após o resultado do megaleilão do pré-sal realizado na manhã de ontem. Além da pífia participação estrangeira, o valor arrecadado foi muito menor que o previsto. Dos prováveis R$ 107 bilhões, restaram apenas R$ 70 bilhões, ainda assim em praticamente sua totalidade vindos da própria Petrobras. Se o objetivo era o de criar uma concorrência saudável e atrair o capital o estrangeiro, algo deu muito errado. Segundo dizem, a pequena participação do estrangeiro teria relação a uma clausula de contrato onde quem vencesse a disputa teria de indenizar a Petrobrás por investimentos já feitos nos campos, ou seja, os estrangeiros, ao considerarem caro o valor de assinatura e ainda com o “acréscimo indenizatório” se retiraram, decepcionando agentes, que esperavam pelo fluxo de capital,  governos estaduais e prefeituras que embolsariam partilha maior de rendimentos, e porque não dizer o governo federal, esse porém vai passar a narrativa de que o valor arrecadado foi o maior do que a soma de todos os leilões dos últimos 20 anos, de qualquer forma é necessário rever regras sobre leilões em modelo de partilha afim de aumentar o interesse externo. Para complementar, o consórcio da Petrobras com a chinesa CNODC arrematou hoje bloco da Bacia de Santos por R$ 5,05 bilhões. A estatal vai usar caixa e eventualmente financiamentos para bancar gastos bilionários com leilões desta semana. Mudando para a inflação, o IPCA, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve alta de 0,10% em outubro, depois de variação negativa de 0,04% em setembro, resumindo, porta continua aberta para redução na Selic em 0,5% na útilma reunião do ano em dezembro. O governo elevou hoje sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano a 0,9%, sobre 0,85% anteriormente, segundo nova grade de parâmetros macroeconômicos divulgada pelo Ministério da Economia. Para o ano que vem, a estimativa também foi melhorada a um aumento de 2,32% do PIB, sobre 2,17% anteriormente. No exterior, o BoE, BC inglês, manteve sua taxa de juro inalterada 0,75%, porém dois membros votaram pela redução no juro considerando tensões globais e efeitos do Brexit. Já China e Estados Unidos devem cancelar em fases as tarifas adotadas durante o conflito comercial, com os mercados aguardando pelo anúncio do acordo referente a fase 1 ainda para o mês de novembro. O Banco Central Europeu acredita em crescimento do bloco no segundo semestre do ano como resultado do seu pacote de estímulo adotado em setembro e em vigor. A Alemanha, maior economia da zona dos países que compoem a moeda única, segue mostrando fraqueza. Sua produção industrial caiu 0,6% no mês de setembro. Pra finalizar, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve concluir nesta quinta-feira a revisão do atual entendimento que permite a execução da pena de prisão para condenados em segunda instância, na retomada de um dos julgamentos mais aguardados do ano. A tendência é de que o julgamento seja decidido pelo ministro Dias Toffoli que deve votar contra a prisão em segunda instância autorizando a libertação de milhares de presos e condenados. Mas como nesse campo as especulações são as mais diversas, as possibilidades fluem no imaginário popular, desde uma proposta alternativa de que a execução da prisão ocorra após o caso ser apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em uma espécie de terceira instância, até a manutenção do atual entendimento consolidado através de pressão da sociedade, ou mesmo do Senado que obteve 42 assinaturas em documento encaminhando à Toffolli pedindo que a corte não mude seu entendimento de que réus condenados possam ser presos em segunda instância. A conferir.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,05%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,44%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O consórcio da Petrobras com a chinesa CNODC arrematou hoje o bloco Aram, no pré-sal da Bacia de Santos, com bônus de assinatura fixo de 5,05 bilhões de reais, durante a 6ª Rodada de licitação de áreas do pré-sal, sob regime de partilha, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A estatal vai usar caixa e eventualmente financiamentos para bancar gastos bilionários com leilões do pré-sal desta semana.

Os preços no Brasil voltaram a subir em outubro conforme esperado, mas ainda assim registraram o menor patamar para o mês em 21 anos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve alta de 0,10% em outubro, depois de variação negativa de 0,04% em setembro. A inflação fraca permanece respaldando a decisão do BC de adotar afrouxamento da política monetária. A autoridade monetária cortou a taxa básica de juros Selic em 0,5 ponto percentual em outubro, a 5% ao ano, e indicou com clareza que deverá repetir a dose em sua próxima decisão. Para além disso, entretanto, a postura é de cautela em relação aos fatores que podem pressionar a inflação para cima diante da falta de comparativos históricos sobre as reações observadas num ambiente de Selic tão baixa.

O governo elevou hoje sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano a 0,9%, sobre 0,85% anteriormente, segundo nova grade de parâmetros macroeconômicos divulgada pelo Ministério da Economia.Para o ano que vem, a estimativa também foi melhorada a um aumento de 2,32% do PIB, sobre 2,17% anteriormente.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve concluir nesta quinta-feira a revisão do atual entendimento que permite a execução da pena de prisão para condenados em segunda instância, na retomada de um dos julgamentos mais aguardados do ano. A tendência é de que o julgamento seja decidido pelo ministro Dias Toffoli que deve votar contra a prisão em segunda instância autorizando a libertação de milhares de presos e condenados. Mas como nesse campo as especulações são as mais diversas, as possibilidades fluem no imaginário popular, desde uma proposta alternativa de que a execução da prisão ocorra após o caso ser apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em uma espécie de terceira instância, até a manutenção do atual entendimento consolidado através de pressão da sociedade, ou até mesmo do Senado que obteve 42 assinaturas em documento encaminhando à Toffolli pedindo que a corte não mude seu entendimento de que réus condenados possam ser presos em segunda instância.

 

Na agenda externa, Duas autoridades do banco central britânico votaram inesperadamente por baixar sua taxa de juros este mês devido a sinais de uma desaceleração econômica mais profunda, e outras disseram que considerariam um corte se os problemas globais e do Brexit não cessarem. O Banco da Inglaterra informou que seu Comitê de Política Monetária, composto por nove membros, votou por 7 a 2 para manter a taxa de juros em 0,75%.

A China e os Estados Unidos concordaram em cancelar em fases as tarifas adotadas durante sua guerra comercial, disse o Ministério do Comércio da China nesta quinta-feira, sem especificar um cronograma. A expectativa é de que um acordo comercial provisório entre EUA e China inclua uma promessa dos EUA de retirar as tarifas marcadas para entrar em vigor em 15 de dezembro sobre cerca de 156 bilhões de dólares em importações chinesas, incluindo celulares, laptops e brinquedos.

A produção industrial alemã caiu mais do que o esperado em setembro, mostraram dados nesta quinta-feira, destacando a fraqueza do setor e indicando que a maior economia da Europa provavelmente entrou em recessão no terceiro trimestre. A produção industrial caiu 0,6% no mês, mostraram números divulgados pelo Ministério da Economia.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários chineses tiveram pouca variação nesta quinta-feira, uma vez que a cautela reinou devido às notícias de que um encontro entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, para assinar um acordo comercial preliminar pode ser adiado. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, ganhou 0,18%, enquanto o índice de Xangai terminou estável. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, O número de americanos que apresentaram pedidos de subsídio de desemprego caiu mais do que o esperado na semana passada, consistente com as fortes condições do mercado de trabalho e o crescimento contínuo do emprego. Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego do Estado caíram 8.000, para 211.000 com ajuste sazonal na semana encerrada em 2 de novembro, informou o Departamento do Trabalho na quinta-feira. Os dados da semana anterior foram revisados para mostrar mais 1.000 aplicativos recebidos do que os relatados anteriormente.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 06/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,18%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,07%  🗞

 

Ibovespa futuro: +0,40%          Ásia: -0,43%

Dow Jones Futuro: +0,10%     Europa (Frankfurt): +0,15%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. A realização do megaleilão do pré-sal ainda nesta manhã (a partir das 10H) atrai as atenções. Seu sucesso pode determinar o humor dos mercados no dia de hoje. Grandes empresas estrangeiras estão habilitadas a participar e também a Petrobras de onde paira um temor sobre uma estratégia muito agressiva que poderia minar seus planos de redução da dívida, e diminuir o fluxo de capital estrangeiro. O governo espera arrecadar algo em torno de R$ 107 bilhões na operação. A desistência das europeias Total e British Petroleum alimentaram especulações e receios sobre o interesse das demais empresas estrangeiras. As respostas chegam logo mais. Ontem o governo apresentou um pacote de medidas ousado que prevê controle de despesas visando contribuir para que a situação fiscal da União, Estados e municípios melhore, reforma administrativa que mudaria regras para novos funcionários públicos que poderiam perder a estabilidade, uso de fundos para pagamento da dívida pública, compartilhamento de 400 bilhões de reais com os entes regionais, entre outros. Rodrigo Maia, presidente da Câmara acredita que alguns temas dificeis não devem prosperar. Até abril do próximo ano, prazo que o líder do governo acredita que os temas serão concluidos, saberemos quais foram os aperfeiçoamentos que o Congresso terá implementado às propostas de emenda constitucional. No exterior, a atividade no setor privado da zona do euro registrou ligeiro crescimento em outubro com o PMI composto, que engloba serviços e manufatura indo a 50,6. Contudo, continuam os riscos de que o quarto trimestre mostre contração. O FMI revisou para baixo sua estimativa de crescimento da zona do euro argumentando que a crise da indústria no bloco pode contaminar o setor de serviços devido às tensões comerciais globais. Segundo a instituição, o crescimento anêmico alemão, estagnação italiana, e desaceleração francesa dão suporte para a revisão. Sairam a pouco dados que informam que as vendas no varejo  no 19 paises que usam o euro subiram 0,1% em setembro. Nos Estados Unidos, dados sobre produtividade e custos de mão de obra saem nesta manhã.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,20%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,07%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O governo apresentou ontem um audacioso conjunto de medidas para controle de despesas mirando a melhoria da situação fiscal da União, Estados e municípios, ao mesmo tempo em que previu o compartilhamento de 400 bilhões de reais com os entes regionais, e o uso de fundos para pagamento da dívida pública. No total, foram três propostas de emenda constitucional (Pecas) entregues ao Senado: PEC do Pacto Federativo, PEC Emergencial e PEC dos Fundos Públicos. Elas compõem o que o governo batizou de “Plano mais Brasil-Transformação do Estado”, tendo como princípio a prometida desvinculação, desindexação e desobrigação das receitas.

 

Na agenda externa, A Alemanha é apenas um dos 19 países da zona do euro e o Banco Central Europeu precisa que todos eles estejam “a bordo” de suas decisões de política monetária, disse a nova presidente do BCE, Christine Lagarde, a um jornal alemão. A chegada de Lagarde à presidência da autoridade monetária da zona do euro está sendo observada de perto por sinais de que ela se desviará da postura monetária acomodatícia adotada por seu antecessor, Mario Draghi, diante das críticas de países ricos do norte como Alemanha e Holanda.

A atividade do setor privado na área do euro registrou um crescimento ligeiramente mais alto em outubro do que no mês anterior, mas permanece próximo da estagnação, mostra os resultados finais de suas pesquisas Markit de gerentes de compras (PMI) publicadas quarta-feira.  O índice composto, que combina serviços e atividade manufatureira, subiu para 50,6, passando ligeiramente da baixa de seis anos observada anteriormente. Contudo, continuam os riscos de que o quarto trimestre mostre contração.

As vendas no varejo da zona do euro aceleraram mais do que o esperado em setembro do ano passado, mostraram dados do escritório de estatísticas da União Europeia apontando para a demanda doméstica sustentada na Europa. Eurostat disse que as vendas no varejo nos 19 países que compartilham o euro aumentaram 0,1% no comparativo mensal, para um ganho de 3,1% ano a ano, ante 2,7% em agosto.

 

Nas Bolsas, Os mercados acionários da China fecharam em baixa nesta quarta-feira, após subirem por três sessões consecutivas devido ao humor melhor em relação às negociações comerciais com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,45%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,43%, devolvendo os ganhos vistos mais cedo na sessão. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, dados sobre produtividade e custos de mão de obra formam a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 05/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,08%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,35%  🗞

 

Ibovespa futuro: +0,40%          Ásia: +0,54%

Dow Jones Futuro: +0,30%     Europa (Frankfurt): +0,05%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em leve baixa no início dos negócios. Dúvida sobre a participação dos estrangeiros no megaleilão do pré-sal sugiram ontem após a falta de interesse de das europeias Total e BP nos blocos a serem ofertados. Menor participação, menor competição, menor fluxo de capital. Ainda assim, grandes empresas fazem parte do leilão, e segundo o ministro de minas e energia, Bento Albuquerque as licitações das grandes reservas serão um sucesso. Quem está tentando barra-las é o sindicato dos petroleiros através de ações na justiça. Fica a expectativa. Nesta manhã foi divulgada a ata da 226ª reunião do Comitê de política monetária, basicamente descrevendo um cenário que confirma mais um corte de 0,5% na última reunião do ano. Além disso, a ata trouxe a visão de menor participação do Estado na economia, mudanças no mercado de crédito e na intermediação financeira, enfatizando a importância da aprovação da reforma da previdência mas reforçando que a continuidade do processo de reformas é essencial para a recuperação econômica, ainda projetada em ritmo gradual. Nesse sentido o ministro da economia Paulo Guedes apresenta nesta manhã um pacote de medidas positivas visando crescimento na geração de empregos, fomentar investimentos, acelerar privatizações e melhorar a confiança, resta saber qual será a posição dos parlamentares diante das proposições, afinal, o “bom debate” costuma atrasar o cronograma e alterar tópicos de relevância. No exterior, Estados Unidos e China trabalham para concluir a fase 1 do acordo comercial. Os chineses buscam remover tarifas a serem implementadas pelos americanos em breve enquanto observam o seu setor de serviços se expandir no ritmo mais lento em oito meses em outubro com o PMI do Caixin/Markit indo a 51,1. Com sua economia enfrentando problemas o BC Chinês resolveu cortar a taxa de juro sobre empréstimos de médio prazo de um ano. Por aqui, o BCB vendeu parcialmente seu lote de dólares no mercado á vista bem como contratos de swaps reversos. Nos Estados Unidos, a manhã reserva dados sobre a balança comercial, PMI composto e informações sobre geração de empregos medidos pelo ISM e Jolts.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,14%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,15%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, Integrantes de sindicatos dos petroleiros entraram com ações na Justiça na véspera tentando barrar os leilões do pré-sal, que serão realizados na quarta e quinta-feiras, no Rio de Janeiro, enquanto o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque afirmou que as licitações de grandes reservas serão um sucesso.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve concluir na quinta-feira a revisão do atual entendimento que permite a execução da pena de prisão para condenados em segunda instância, na retomada de um dos julgamentos mais aguardados do ano. Uma eventual mudança do posicionamento da corte poderá tirar da prisão milhares de condenados, segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), incluindo conhecidos alvos da operação Lava Jato, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O que já sabemos por experiência é que a corrupção é a mãe de todas as crises, seja na área da saúde, educação, segurança, enfim…Não há reforma, seja da previdência, tributária, administrativa ou a tão sonhada reforma política que resistam aos efeitos danosos da corrupção no longo prazo. Se a corrupção não for enfrentada, se as leis não forem levadas a sério e novas leis não forem criadas para inibir crimes como por exemplo do colarinho branco, o Brasil voltará a ter de lidar com o mesmo assunto em alguns anos. Aprovam-se reformas importantes para o país, ao mesmo tempo em que se aumentam fundos partidários, e tornam projetos como o de abuso de autoridade menor em grau de rigor e eficácia. A impunidade ou mesmo a aplicação de leis brandas aproximam algumas pessoas à praticas não recomendáveis, e o resultado disso já se sabe. O que a sociedade acaba vendo é que ela colabora com as reformas, o congresso diz que é o momento dos empresários darem sua parcela de contribuição também, mas em nenhum momento se vê os próprios congressistas darem o exemplo colocando em pauta uma reforma política capaz de diminuir privilégios e acréscimos de digamos assim, vencimentos. Mas o jogo segue e enquanto o parlamento não resolve a questão legislando, o STF decidirá.

 

 

Na agenda externa, A China vai efetivamente combater e resolverá os riscos financeiros, informou a agência de notícias Xinhua citando uma decisão endossada pelo Comitê Central do Partido Comunista em uma reunião na semana passada. A China pressionará constantemente pela internacionalização do iuan, disse a Xinhua citando a decisão. O país melhorará o sistema de lista negativa para investimentos estrangeiros, melhorando a competitividade, inovação, resiliência e capacidade de controle das empresas estatais, completou a agência.

A China está pressionando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a remover mais tarifas impostas em setembro como parte da “fase um” de um acordo comercial entre EUA e China, disseram fontes da Reuters. Espera-se que o acordo – que pode ser assinado este mês por Trump e pelo presidente chinês Xi Jinping em um local ainda a ser determinado – inclua uma promessa dos EUA de descartar tarifas agendadas para 15 de dezembro sobre cerca de 156 bilhões de dólares em importações chinesas, incluindo telefones celulares, laptops e brinquedos.

A atividade do setor de serviços da China expandiu no ritmo mais lento em oito meses em outubro, uma vez que as novas encomendas desaceleraram e a confiança do empresário atingiu a mínima de 15 meses. O PMI de serviços do Caixin/Markit caiu a 51,1 no mês passado, igualando a mínima de fevereiro e ante 51,3 em setembro.

O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que uma mistura de estímulos fiscais e monetários daria um impulso maior à economia do que tomar medidas fiscais e monetárias individualmente, sinalizando que o governo poderia desempenhar um papel maior na ajuda para estimular o crescimento.

O banco central da China cortou a taxa de juros sobre seu instrumento de empréstimo de médio prazo de um ano nesta terça-feira pela primeira vez desde o início de 2016, conforme as autoridades trabalham para impulsionar a economia em meio à demanda mais fraca tanto interna quanto externa.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China ampliaram sua alta para a terceira sessão consecutiva nesta terça-feira, com os investidores comemorando a mais recente flexibilização de Pequim para impulsionar a economia depois que uma pesquisa privada mostrou crescimento lento no setor de serviços doméstico. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,62%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,54%. Bolsas europeias em leve alta.

 

Nos Estados Unidos, Dados sobre geração de empregos, balança comercial e PMI formam a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 01/11/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,80%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖1%  🗞

 

Ibovespa futuro: +0,70%          Ásia: +0,99%

Dow Jones Futuro: +0,40%     Europa (Frankfurt): +0,60%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Os mercados reagem a dados importantes no começo de novembro. Um deles e surpreendente veio da China, onde a atividade industrial medida pelo Índice de Gerentes de Compras (PMI) do Caixin/Markit, em outubro, foi de 51,7, ante 51,4 em setembro. Sua força se sustentou em novas encomendas de exportação que subiram e fábricas que ampliaram a produção. Aqui, a produção industrial registrou alta de 0,3% em setembro na comparação com o mês anterior. O IPC-S caiu 0,09% em outubro, depois de registrar estabilidade em setembro. Mas o carro chefe vem dos Estados Unidos, onde saiu a pouco o relatório geral do mercado de trabalho do país, o payroll. O documento esclareceu que o crescimento dos empregos desacelerou menos do que o esperado em outubro. As folhas de pagamento não-agrícolas aumentaram 128 mil empregos no mês passado, porém o setor manufatureiro perdeu 36 mil posições (o maior desde outubro de 2009), nesse aspecto vale ressaltar que a greve na GM impacta no indicador uma vez que trabalhadores em greve, que não recebem salários durante esse período, são tratados como desempregados. O relatório também evidenciou que a economia criou 95 mil empregos a mais em agosto e setembro do que o estimado anteriormente. Mesmo sem as distorções de greve o crescimento do emprego demonstra desaceleração durante o ano 2019. Outro dado relevante, é o de que o salário médio por hora subiu 0,2%, depois de inalterado em setembro, o que levou o aumento anual dos salários à 3% em outubro. A taxa de desemprego subiu para 3,6%. Com os trabalhadores inseridos no mercado, seus gastos sustentam a economia enquanto os investimentos empresariais desaceleram. Não atoa o Federal Reserve em sua última decisão sobre política monetária argumentou que o mercado de trabalho permanece sólido. Na agenda norte-americana, dados sobre atividade industrial entre 10H45 e 11H encerram o calendário. Sobre política no Brasil, o Ministro da Economia Paulo Guedes pretende apresentar na próxima terça-feira ao Congresso algumas PECs que englobam desonerações, desindexações e desvinculações. Enquanto isso os embates em torno da reforma tributária devem ser iniciados em breve. Sobre a reforma administrativa, que pretende reduzir algumas regalias do funcionalismo federal entre outras medidas, seu início se dará também pela Câmara. A agenda de aceleração de privatizações e geração de novos empregos são outros temas que a equipe econômica buscará construir junto ao Congresso em meio às negociações. A semana termina com a assinatura do termo aditivo do contrato da cessão onerosa entre a Petrobras e a União que permitirá a realização do megaleilão do pré-sal no próximo dia 6.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,05%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,70%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O presidente Jair Bolsonaro lamentou a declaração de seu filho Eduardo Bolsonaro sobre AI-5, disse que o filho estava pronto para se desculpar e ressaltou que não tem nenhum interesse no autoritarismo. Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, na TV Band, Bolsonaro disse que não pensa em uma arma como o AI-5, lembrou que tanto ele quanto o filho, que é deputado federal, foram eleitos de maneira democrática e defendeu que o país não se atenha a “assuntos menores”. “Eu falei para ele ‘se desculpa junto àqueles que porventura não interpretaram você corretamente’. E ele falou ‘não tem problema nenhum’”, disse o presidente, ao explicar o contexto da fala de Eduardo sobre o ato institucional do regime militar. “Ele fala que no contexto lá dos anos 1960, o Brasil viveu um momento difícil aqui também e que o AI-5 foi quase uma imposição. Mas ele fala também que o AI-5 não existe. Essa arma não existe, tá? E nem queremos e nem pretendemos falar em autoritarismo da nossa parte”, disse, na entrevista, aproveitando para se dizer chateado por “qualquer palavra” tornar-se um “tsunami”. “Se lamenta essa notícia aqui em parte distorcida, mas meu filho está pronto para se desculpar , tendo em vista ter sido mal interpretado”, acrescentou o presidente.

A semana termina com assinatura do termo aditivo do contrato da cessão onerosa entre a Petrobras e a União. A assinatura é importante para a realização do megaleilão do petróleo que será realizado no próximo dia 6.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) passou a cair 0,09% em outubro, depois de registrar estabilidade em setembro. Com isso, o IPC-S acumula alta de 2,93% nos últimos 12 meses.

O Ministro da Economia Paulo Guedes pretende apresentar na próxima terça-feira ao Congresso algumas PECs que englobam desonerações, desindexações e desvinculações. Enquanto isso os embates em torno da reforma tributária devem ser iniciados em breve. Sobre a reforma administrativa, que pretende reduzir algumas regalias do funcionalismo federal entre outras medidas, seu início se dará também pela Câmara. A agenda de aceleração de privatizações e geração de novos empregos são outros temas que a equipe econômica buscará construir junto ao Congresso em meio às negociações.

A produção industrial brasileira registrou alta de 0,3 por cento em setembro na comparação com o mês anterior, informou o IBGE. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção subiu 1,1 por cento.

 

Na agenda externa, A atividade industrial da China expandiu inesperadamente no ritmo mais forte em mais de dois anos em outubro, uma vez que as novas encomendas de exportação subiram e as fábricas ampliaram a produção, segundo a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit que mostrou 51,7 em outubro de 51,4 em setembro, marcando o terceiro mês seguido de expansão.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China subiram nesta sexta-feira para terminar a semana com ganhos devido a dados mais fortes do que o esperado da indústria do país, além do crescente otimismo com um potencial acordo comercial com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1,69%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,99%. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, O presidente Donald Trump, afirmou que EUA e China anunciarão em breve um novo local para que ele e o presidente chinês, Xi Jinping, assinem a “fase 1” de um acordo comercial depois que o Chile cancelou uma cúpula planejada para meados de novembro. Na agenda teremos a divulgação do relatório geral do mercado de trabalho, o payroll, logo no início da manhã, e um pouco mais tarde entre 10H45 e 11H, dados de atividade industrial. Alguns membros do FED discursam também.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 31/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,05%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,10%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: -0,13%          Ásia: -0,35%

Dow Jones Futuro: -0,15%     Europa (Frankfurt): -0,06%.

 

No mercado de câmbio: Dólar operando em leve baixa no início dos negócios. O Federal Reserve confirmou as expectativas e decidiu reduzir o juro americano em 0,25%, o levando para a faixa entre 1,50% a 1,75%. Essa pode ter sido a última redução em 2019. De qualquer forma a declaração do BC Americano que acompanhou a decisão considerou que seus membros devem avaliar o caminho apropriado monitorando as perspectivas econômicas até a última reunião do ano, em dezembro. Até lá espera-se que a conclusão da fase um do acordo entre americanos e chineses e suas implicações já tenham sido finalizadas. Vale ressaltar que hoje o dólar vem perdendo força no exterior diante das principais moedas. Por aqui, diante de um quadro onde o desemprego segue em 11,8%, pelo menos até setembro, a fraqueza na economia e a lenta recuperação acabaram por determinar a decisão do Copom em reduzir o juro em 0,5%, levando a Selic para 5%, indicando que a dose deve ser repetida em dezembro, o que faria a taxa de juro brasileira confirmar expectativas do boletim focus e encerrar o ano em 4,5%. Caso a inflação continue a perder força até o início de dezembro, os membros do comitê de política monetária podem rever o quadro, mas, como normalmente o último trimestre do ano é marcado por um número maior de contratações e gastos, o patamar de encerramento em 4,5% é o mais provável. Até as 13H a guerra pela formação da ptax entre os bancos promete deixar o ambiente com maior volatilidade. No Reino Unido, segundo pesquisas, o partido conservador do premiê Boris Johnson lidera as intenções de voto, o que em se confirmando até a eleição pode facilitar seu trabalho de saída da União Europeia. Hoje Johnson não tem maioria no parlamento. E quem continua a mostrar dados fracos é a China. Os asiáticos viram a atividade industrial encolher pelo sexto mês seguido em outubro, menor expansão no setor de serviços, investimentos mais fracos e o crescimento econômico desacelerando no terceiro trimestre para a mínima em quase 30 anos. Com isso aumentam as expectativas de que o governo adote medidas de suporte em breve. Na zona do euro, o PIB se manteve estável crescendo 0,2% entre julho e setembro. O problema gira em torno do PIB da Alemanha, que só será divulgado no meio de novembro. A maior economia da Europa pode mudar o cenário se as expectativas de contração Alemã se confirmarem. Nos Estados Unidos, uma série de indicadores acabam de sair. Os pedidos de auxílio desemprego aumentaram na semana passada, indo para 218 mil. Os gastos do consumidor subiram 0,2% no mês passado, enquanto os salários permaneceram inalterados, o indice de preços das despesas de consumo pessoal (PCE)  foram a 1,3%, ante 1,4% nos 12 meses encerrados em agosto.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,35%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,13%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O Banco Central reduziu a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, a 5% ao ano, e indicou com clareza que deverá repetir a dose em sua próxima decisão, em meio a um quadro de fraqueza na economia e baixa inflação. De qualquer forma, o BC também repetiu que, a despeito da sinalização dada, seus próximos passos continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação.

O presidente Jair Bolsonaro e parlamentares de seu partido, o PSL, pediram que o Ministério Público Eleitoral (MPE) entre com ação para suspender o fundo partidário da legenda. Na representação encaminhada ao MPE, Bolsonaro e os parlamentares argumentam que há indícios de irregularidades na gestão das contas do partido, o que justifica, na visão deles, o bloqueio dos recursos do fundo partidário já destinados à legenda e a suspensão de repasses futuros. O presidente, seus filhos e outros parlamentares pedem ainda que o MPE proponha ação civil pública para apurar esses indícios de irregularidade na gestão de contas do partido e que os eventuais responsáveis sejam punidos por improbidade administrativa.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,8 por cento nos três meses até setembro. Segundo o IBGE, o número de trabalhadores por conta própria e sem carteira assinada permaneceram em patamar recorde da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012. A categoria por conta própria chegou a 24,4 milhões de pessoas no trimestre encerrado em setembro, o que representa uma alta de 1,2% em relação ao mesmo período de 2018. Já o número de empregados sem carteira de trabalho assinada seguiu no patamar recorde de 11,8 milhões de pessoas, o que representa um crescimento anual de 2,9%. Já o número de trabalhadores com carteira assinada ficou em 33,1 milhões, o que segundo o IBGE representa uma estabilidade.

A sugestão do Executivo para projeto de lei complementar que irá regulamentar os critérios de periculosidade para acesso a aposentadoria especial, tema atrelado à discussão da reforma da Previdência, chegou ao Senado e deve ser formalizado hoje. A proposta, que vinha sendo encarada como uma condicionante para a promulgação da reforma da Previdência, será protocolada tendo como subscritor o senador Eduardo Braga (MDB-AM), e deve ter sua admissibilidade analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na próxima quarta-feira. O relator será o senador Esperidião Amin (PP-SC).

 

 

Na agenda externa, A atividade industrial na China encolheu pelo sexto mês seguido em outubro e mais do que o esperado, enquanto a expansão do setor de serviços enfraqueceu em meio ao crescimento econômico mais fraco do país em quase 30 anos. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) para a indústria caiu a 49,3 em outubro, informou a Agência Nacional de Estatísticas, contra 49,8 em setembro. A marca de 50 separa crescimento de contração. Pressionada pela desaceleração da demanda doméstica, investimentos fracos e a guerra comercial com os Estados Unidos, o crescimento econômico da China desacelerou no terceiro trimestre para a mínima em quase 30 anos de 6,0%, levantando expectativas de que o governo adote mais medidas de suporte em breve. As novas encomendas de exportação caíram pelo 17º mês consecutivo em outubro, com seu subíndice recuando a 47,0 de 48,2 no mês anterior. Já o PMI oficial de serviços caiu a 52,8 em outubro de 53,7 em setembro, nível mais baixo desde fevereiro de 2016 mas ainda acima da marca de 50.

O crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre contrariou as expectativas do mercado de uma desaceleração e repetiu o ritmo visto no período anterior, mostraram dados preliminares. A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, estimou que o Produto Interno Bruto nos 19 países que usam o euro cresceu 0,2% entre julho e setembro contra os três meses anteriores, o mesmo que no segundo trimestre. Mas os dados do PIB da Alemanha, maior economia da zona do euro, serão divulgados apenas em 14 de novembro, portanto a estimativa da Eurostat para toda a zona do euro pode ser revisada para baixo se as expectativas de contração na Alemanha se confirmarem.

O banco central do Japão deixou inalterada a política monetária como esperado, mas deu o mais forte sinal até agora de que pode cortar a taxa de juros no futuro próximo, destacando sua preocupação de que os riscos externos possam afetar a frágil recuperação econômica.

 

 

Nas Bolsas, Os índices acionários chineses encerraram em queda nesta quinta-feira, com dados fracos da indústria levantando preocupações sobre o ritmo do suporte do governo para reforçar a economia. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,11%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,35%. Bolsas europeias em baixa.

 

Nos Estados Unidos, o PMI de Chicago em outubro às 10H45 define a agenda.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 30/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸  DÓLAR    ⬆  ➕0,53%  💱 🇪🇺 EURO  ⬆  ➕0,55%  🗞.

 

Ibovespa futuro: -0,17%          Ásia: -0,50%

Dow Jones Futuro: +0,05%      Europa (Frankfurt): -0,20%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em alta no início dos negócios. Quarta-feira chegando e trazendo decisões importantes sobre política monetária. Ao final do dia o Copom deve decidir por uma redução no juro brasileiro da ordem de 0,5%, levando a Selic para 5%. Há quem diga que o corte pode até ser um pouco maior, em 0,75%, uma visão um tanto ousada. O cenário “benigno” para inflação tem como sustentação o fato de que a retomada da economia brasileira se dá de forma lenta, baixos índices de utilização da capacidade da indústria e principalmente na taxa de desemprego, resumindo, é uma medida necessária. Sobre reformas, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia diz que a tributária é a atual prioridade do Congresso, e que a administrativa deve ficar para o ano que vem, segundo ele, “é a hora dos grandes empresários darem a sua contribuição”. OK reorganizar o sistema é de fato importante, inclusive o político, mas uma reforma política seria um tanto controversa no Congresso, essa não faz parte do cardápio. Quanto a PEC paralela, aquela que inclui Estados e municípios na novas regras de aposentadoria, existe um otimismo segundo Maia. A conferir. Nos Estados Unidos, o FOMC (Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve), deve optar por nova redução no juro do país em 0,25% às 15H. Até aí são amplas as apostas. Jerome Powell, presidente do BC Americano dá coletiva às 15H30, sendo monitorado pelos mercados que esperam por sinais do que vem pela frente. Para a reunião de dezembro não se esperam mudanças na política monetária, o que faria da decisão de hoje, a última redução no juro americano em 2019, diferentemente do Copom, que em sua última reunião do ano deve reduzir a Selic novamente. São perspectivas que desvalorizam o real nesta quarta-feira. Como observamos ontem, o calendário esquentaria a partir de hoje. Nesse sentido, a ADP, que divulga dados do setor privado de trabalho nos Estados Unidos, esclareceu que em outubro foram criadas 125 mil vagas de emprego, pouco acima das expectativas. Já em relação ao mês anterior, houve revisão para baixo, de criação de 135 mil postos de trabalho para 93 mil. Sobre o crescimento do PIB no terceiro trimestre, desaceleração menor que a esperada. O PIB cresceu a uma taxa anualizada de 1,9% no período. No Reino Unido, eleições marcadas para 12 de dezembro, após Boris Johnson conseguir aprovação do Parlamento com o objetivo de quebrar o impasse do Brexit visto durante o ano. Vale lembrar que começa hoje a guerra pela formação da ptax entre os bancos o que deixa o ambiente mais volátil. O BCB vendeu parcialmente seu lote de dólares a vista bem como contratos de swaps reversos.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  INDEX: 0,02%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆  FUTURO: 0,30%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O IGP-M teve alta de 0,68% em outubro, depois de apresentar variação negativa de 0,01 em setembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

A Rede Globo está atenta ao caso Marielle. O canal reporta que um dos suspeitos da morte de Marielle Franco entrou no condomínio de Jair Bolsonaro dizendo que iria à casa do então deputado. O porteiro teria dito que um homem com a voz de Bolsonaro autorizou pelo interfone a entrada no condominio de Élcio Queiroz, acusado de dirigir o carro usado no crime de Marielle. Porém o presidente sequer estava no Rio de Janeiro no dia, registrando sua presença no sistema da Câmara no dia da visita de Élcio.

 

Na agenda externa, Depois de meses ensaiando sua estratégia eleitoral, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, está prestes a iniciar uma campanha de alto risco para explorar as divisões a respeito da separação britânica da União Europeia, apesar de seus apelos públicos pela união nacional.Até a eleição de 12 de dezembro, Johnson se dedicará a retratar seu novo acordo do Brexit com a UE como uma vitória para um líder que, segundo muitos, seria incapaz de obter concessões de Bruxelas e tiraria o país do bloco sem um acordo.

 

Nas Bolsas, Os índices acionários da China fecharam em baixa nesta quarta-feira, pressionados pelas renovadas dúvidas sobre as perspectivas de uma primeira fase de acordo comercial com os Estados Unidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,49%, enquanto o índice de Xangai teve perdas de 0,5%. Um acordo comercial provisório entre os Estados Unidos e a China pode não ser concluído a tempo para assinatura no Chile no próximo mês, como esperado, mas isso não significa que o acordo está caindo aos pedaços, disse uma autoridade do governo norte-americano na terça-feira. Bolsas europeias em leva baixa.

 

Nos Estados Unidos, decisão sobre política monetária às 15H é o destaque.

 

Fonte: Reuters.

Panorama de Mercado 29/10/2019

0

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,05%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,07%  🗞 .

 

Ibovespa futuro: -0,08%          Ásia: -0,87%

Dow Jones Futuro: -0,20%      Europa (Frankfurt): -0,09%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em leve baixa no início dos negócios. As vésperas sobre decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos, os investidores tendem a adotar certa cautela enquanto aguardam pelos resultados. Como os cortes, nos dois casos devem ser em doses diferentes, maior aqui e menor por lá, alguma pressão que desvalorize o real tende a  acontecer. O que pode minimizar esse movimento é o interesse externo pelo mercado doméstico impulsionado pela aprovação da reforma da previdência e a expectativa pelo megaleilão do pré-sal confirmado para a próxima semana. Interessante ressaltar também que a partir de amanhã o calendário econômico vai esquentar de vez. Além das decisões sobre juro, vamos ter a preliminar do PIB americano, variação de empregos no setor privado da ADP que é considerado uma prévia do payroll (relatório geral do mercado de trabalho nos Estados Unidos) que sai na sexta-feira, bem como dados de atividade industrial e inflação na China, zona do euro e Estados Unidos, resumindo, catalisadores de humor serão diversos até o final desta semana, o que agregado com a guerra pela formação da Ptax entre os bancos que começa amanhã, podem colaborar para que a volatilidade seja maior durante o período. A conferir. Por aqui, o STF, confirmou que a retomada do julgamento sobre a execução de pena após condenação em segunda instância será no próximo dia 7, em decisão que pode culminar com a liberação de milhares de condenados em segundo grau. O presidente da corte, Dias Toffoli sugeriu ontem aos presidentes da Câmara e Senado, alteração no Código Penal estabelecendo que o prazo para prescrição de pena não seja contabilizado enquanto os julgamentos estiverem pendentes de recursos. Em suma evitaria a impunibilidade por prescrição, mas sugere que seu voto decisivo no julgamento da próxima semana, possivelmente será contra a prisão em segunda instância. Só pra lembrar, os ministros que defenderam a prisão após condenação em segunda instância argumentaram que muitos casos acabam prescritos, sem possibilidade de punição em razão do tempo decorrido do fato. Voltando à questão monetária, os agentes estão atentos ao Banco Central Americano, esperando que o FED leve o juro do país para a faixa entre 1,50% a 1,75% na decisão de amanhã, caso opte por deixa-lo inalterado, a recepção por aqui não será das melhores. Em relação ao Copom, as apostas majoritárias são de redução no juro em 0,5%, levando a Selic para o patamar de 5%. O BCB vendeu integralmente nesta manhã seu lote de dólares no mercado à vista, bem como a quantidade de contratos de swaps reversos. Na agenda americana, são esperados os dados sobre a confiança do consumidor neste mês às 11H. Sobre o Brexit, enquanto o parlamento britânico segue discutindo sobre como e quando a saída da União Europeia será finalizada, Boris Johnson, que obteve prazo até 31/01/2020 para a concretização da saída, segue tentando emplacar novas eleições no país, na esperança de finalmente conquistar a maioria no parlamento visando aprova-la de forma mais rápida.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  INDEX: 0,01%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,15%  (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Dezembro).

 

Na agenda interna, O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, marcou para o dia 7 de novembro, quinta-feira da próxima semana, a retomada do julgamento sobre a possibilidade de revisão do atual entendimento de que é possível executar a pena de prisão de um condenado em segunda instância, decisão que pode culminar com a liberação de milhares de condenados em segundo grau e até beneficiar presos famosos da operação Lava Jato, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Toffoli sugeriu ontem aos presidentes da Câmara e Senado, alteração no Código Penal estabelecendo que "enquanto pendente de julgamento os recursos especial (no STJ) ou extraordinário (no STF) ou os respectivos agravos" o prazo para prescrição de pena não será contabilizado. Em suma evitaria a extinção de punibilidade por prescrição, mas sugere que seu voto decisivo no julgamento da próxima semana, possivelmente será contra a prisão em segunda instância.

 

 

Na agenda externa, A União Europeia concordou em adiar o Brexit em até três meses, enquanto o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que continuará com sua tentativa de acabar com a paralisia política britânica por meio de uma eleição em 12 de dezembro. Com a saída britânica da UE programada para 31 de outubro agora praticamente adiada, o Brexit está em xeque, com os políticos britânicos ainda discutindo sobre como, quando ou mesmo se o divórcio deve ocorrer. Johnson, que havia prometido finalizar o Brexit em 31 de outubro, tem exigido repetidamente uma eleição para encerrar o que ele classifica como um pesadelo político que está minando a confiança do povo ao impedir qualquer resultado do Brexit. Horas depois que os 27 países restantes da UE apoiaram seu pedido relutante de adiamento, Johnson tentou forçar uma eleição antecipada em 12 de dezembro, na esperança de finalmente conquistar a maioria para aprovar o acordo de divórcio que negociou com Bruxelas. Mas sua terceira tentativa de convocar esta eleição reuniu apenas 299 votos no Parlamento, menos do que os 424 – ou dois terços da Casa – que ele precisava. O premiê vai tentar aprovar um projeto nesta terça-feira para convocar eleições em 12 de dezembro. A tentativa demanda apoio de uma pequena maioria no Parlamento. “Não vamos permitir que essa paralisia continue e, de um jeito ou de outro, devemos prosseguir direto para uma eleição”, disse Johnson ao Parlamento na segunda-feira. “Esta Casa não pode mais manter este país como refém”.

 

Nas Bolsas, Os principais índices acionários da China fecharam em baixa nesta terça-feira, pressionados por uma correção nas empresas de alta tecnologia, enquanto investidores buscavam clareza sobre as negociações comerciais com os Estados Unidos e as perspectivas para a economia doméstica. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,42%, enquanto o índice de Xangai teve perdas de 0,87%, devolvendo o ganho de 0,85% do dia anterior. Bolsas europeias em leve baixa.

 

Nos Estados Unidos, a confiança do consumidor neste mês às 11H é o destaque.

 

Fonte: Reuters.