Panorama de Mercado 11/06/2019

Aos clientes e amigos,

 

Bom dia  👀 📊  ativos operando:  🏛 🇺🇸 DÓLAR  ⬇ ➖0,30%  💱 🇪🇺 EURO ⬇  ➖0,25%  🗞 .

 

Ibovespa Futuro: +0,75%.                             Ásia (Xangai): +2,58%.

Dow Jones Futuro: +0,50%.                          Europa (Frankfurt): +1,2%.

 

No mercado de câmbio: Dólar abrindo em baixa no início dos negócios. Nesta manhã, expectativa a partir das 11h, quando se inicia a reunião da Comissão Mista de Orçamento, CMO, para avaliar o projeto de crédito suplementar que autoriza o governo a descumprir a regra de ouro. Já a tarde o Congresso terá sessão conjunta a partir das 14h, para apreciar vetos presidenciais pendentes, abrindo espaço para votar o crédito suplementar caso tenha sido aprovado na comissão. Enquanto isso, parte do mercado ainda monitora as “denúncias” do site intercept e seu mentor Glenn Greenwald, ligado a David Miranda do PSOL, avaliando eventuais riscos ao avanço da reforma da previdência que o assunto possa trazer, com a oposição fazendo barulho a respeito. Governadores foram à Brasilia hoje em apoio ao parecer que será apresentado na quinta-feira, pelo relator da reforma, Samuel Moreira, objetivando o ingresso de Estados e Municípios na proposta, e buscando convencer deputados resistentes à inclusão. O Banco Central Brasileiro segue realizando suas rolagens de vencimentos de swaps na primeira metade do dia. Sobre as tensões comerciais Estados Unidos e China, Trump disse que pretende se encontrar com o presidente chinês, Xi Jinping, na reunião do G20, que acontecerá nos próximos dias 28 e 29 de junho. O porta- voz do Ministério das Relações Exteriores da China, ainda não confirmou o encontro. No mais, a China diz que irá responder com firmeza se os Estados Unidos decidirem intensificar as tensões comerciais com o país impondo tarifas sobre mais USD 300 bilhões de dólares sobre seus produtos, ameaça de Donald Trump, caso as potências não retomem o caminho que possa levar a um acordo futuro. Os chineses decidiram dar uma força para sua economia liberando governos locais a usarem recursos de titulos especiais a fim de estimular investimentos buscando minimizar impactos da desaceleração que passam. Já dos Estados Unidos chega dado importante, trata-se do indice de preços ao produtor, que subiu em maio 0,4%. O resultado vem um dia antes da divulgação dos preços ao consumidor. As chances de o Banco Central Americano manter a taxa de juro do país inalterada em 19 de junho é da ordem de 83%. A proporção muda em relação à divulgação de 31/07, com a possibilidade de redução no juro superando 65%, indicando que as apostas para afrouxamento monetário seguem em alta. Donald Trump segue criticando o Federal Reserve, classificando o juro do país como alto demais. Nesta noite a China trará seus dados inflacionários ao produtor e consumidor.

 

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬆ INDEX: 0,04%  (Comportamento do dólar ante as principais moedas, no exterior).

🏛 🇺🇸  DÓLAR ⬇  FUTURO: 0,25%    (Comportamento do Dólar Futuro para o mês de Julho).

 

Na agenda interna, A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar hoje um pedido de liberdade apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde abril do ano passado cumprindo pena no âmbito da operação Lava Jato. Inicialmente, esse recurso começou a ser apreciado pelo plenário virtual da Segunda Turma —quando os ministros votam de maneira remota por meio de um sistema eletrônico—, mas o julgamento fora interrompido por um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes. Agora, o recurso de Lula deverá ser retomado para análise dos ministros no plenário físico.

O diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Tiago Berriel, afirmou que o crescimento econômico brasileiro continua a se recuperar, mas a ritmo mais lento do que o projetado, destacando que uma aceleração depende da redução das incertezas sobre as reformas. No mês passado, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, já havia reiterado que o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas que o cenário básico do BC contempla uma retomada adiante. Em relação a eventuais riscos relacionados ao cenário internacional, desafiador, Berriel vê boa capacidade de absorção de choques, dadas as políticas consistentes e proteções de que a instituição dispõe, citando as expectativas ancoradas de inflação, flexibilidade do câmbio e nível confortável de reservas internacionas dentre outras.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 0,73% na primeira prévia de junho, contra 0,58% no mesmo período do mês anterior, informou a FGV. Nesta manhã, expectativa a partir das 11h, quando se inicia a reunião da Comissão Mista de Orçamento, CMO, para avaliar o projeto de crédito suplementar que autoriza o governo a descumprir a regra de ouro. Já a tarde o Congresso terá sessão conjunta a partir das 14h, para apreciar vetos presidenciais pendentes, abrindo espaço para votar o crédito suplementar caso tenha sido aprovado na comissão. Enquanto isso, parte do mercado ainda monitora as “denúncias” do site intercept e seu mentor Glenn Greenwald, ligado a David Miranda do PSOL, avaliando eventuais riscos ao avanço da reforma da previdência que o assunto possa trazer, com a oposição fazendo barulho a respeito. O Banco Central Brasileiro segue realizando suas rolagens de vencimentos de swaps na primeira metade do dia.

 

 

Na agenda externa, Os candidatos para substituir Theresa May no cargo de primeiro-ministro do Reino Unido lançaram suas campanhas ontem prometendo resolver a confusão que envolve o Brexit e disparando contra o favorito na corrida, o ex-ministro das Relações Exteriores Boris Johnson.

 

                              

Nas Bolsas, Os índices acionários chineses saltaram nesta terça-feira depois que Pequim aliviou regras financeiras para impulsionar os gastos do governo sobre trabalhos públicos, enquanto as expectativas de juros mais baixos globalmente e alguns sinais de alívio nas tensões comerciais também sustentaram o sentimento. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen subiu 3,01%, enquanto o índice de Xangai ganhou 2,58%, atingindo nível que não era visto desde 29 de maio. Deu impulso às ações domésticas a notícia de que a China permitirá que governos locais usem os recursos de títulos especiais para importantes projetos de investimento, incluindo estradas, oferta de gás e energia e ferrovias. Bolsas europeias em alta.

 

Nos Estados Unidos, O presidente Donald Trump disse esperar que o presidente chinês, Xi Jinping, participe da cúpula do G20 no Japão neste mês e que os dois conversem na reunião de líderes desse grupo de países. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, mais uma vez não confirmou o encontro entre Xi e Trump no G20, afirmando que a informação será divulgada quanto estiver disponível para a pasta. No mais, a China diz que irá responder com firmeza se os Estados Unidos decidirem intensificar as tensões comerciais com o país impondo tarifas sobre mais USD 300 bilhões de dólares sobre seus produtos, ameaça de Donald Trump, caso as potências não retomem o caminho que possa levar a um acordo futuro, na reunião do G20 nos próximos dias 28 e 29 de junho.

 

Fonte: Reuters.

Publicado por

Alessandro Faganello

Iniciando sua carreira no mercado financeiro ainda em sua adolescência e por intermédio de seu pai, passou por diversas instituições ao longo de seus 30 anos de experiência em câmbio. Na Advanced desde 2014, se tornou um dos principais formadores de opinião da Mesa de Operações. Em nossos boletins escreve com uma linguagem simples e direta para deixar você, cliente Advanced, o mais bem informado possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *